Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Gestão incompetente, estr...

. Câmara cede cinco terreno...

. Saúde para todos

. População em luta pelo di...

. Mapa da Saúde no Lumiar

. Extensões do Centro de Sa...

. Do doente barracão para u...

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

.Contacta a CDU Lumiar:

E-mail: cdulumiar@sapo.pt ; Website: http://cdulumiar.no.sapo.pt

.Fotos do Sapo

http://fotos.sapo.pt/login?to=manage
Domingo, 28 de Março de 2010

Gestão incompetente, estratégia para destruir o Serviço Nacional de Saúde ou ambas?

 

A passagem à reforma desde o início do ano de cerca de 600 médicos do serviço público (metade dos quais médicos de família) e a ruptura pública na prestação de cuidados de saúde e na doença, coloca mais uma vez no centro do debate em torno da saúde, a importância dos recursos humanos no Serviço Nacional de Saúde.

Alguns dos que mais têm procurado denegrir e debilitar o Serviço Nacional de Saúde (SNS), com o objectivo de retirar ao Estado a sua função de prestador de cuidados de saúde entregando-a aos grupos privados, apressaram-se a tecer alguns comentários, procurando fazer passar a ideia de que não há nada que o governo possa fazer para conter esta saída. Nada mais falso!
A incapacidade de planeamento e gestão dos recursos humanos da saúde, por um lado, e uma estratégia de destruição do SNS que tem como uma das componentes fundamentais facilitar a fuga de profissionais para o privado, por outro, estão na génese da política de direita dos sucessivos governos do PS e PSD, com ou sem o CDS-PP. A saída precoce por via da antecipação das reformas é o resultado de uma mistura entre as penalizações introduzidas pelo Governo do PS nas reformas na Administração Pública e o mau estar que se vive no seio dos médicos que prestam serviço no SNS, com a desvalorização social, profissional e salarial a que têm sido sujeitos.
Os arautos do «Estado mínimo na saúde» sabem que uma gestão ruinosa dos recursos humanos na saúde é a forma mais eficaz de destruírem o SNS, independentemente dos prejuízos causados aos utentes, nomeadamente nas dificuldades crescentes que estes vão sentindo no acesso aos cuidados de saúde. A própria Organização Mundial de Saúde afirmou há poucos dias que Portugal era o País da União Europeia com maiores desigualdades no acesso aos cuidados de saúde.
Há muito que o PCP vem chamando a atenção para a previsível falta de médicos nos Cuidados de Saúde Primários (CSP) e para as causas de uma situação inaceitável que mantém mais de 700 mil portugueses sem médico de família. A imposição de barreiras administrativas no acesso de muitos jovens aos cursos de medicina, opção defendida por PS, PSD e CDS-PP, com o apoio activo da Ordem dos Médicos, a não abertura das vagas necessárias para a especialidade de Medicina Geral e Familiar, a par desvalorização que tem sido feita dos CSP tornando esta especialidade pouco atractiva para os jovens médicos, são as principais causas de uma situação que terá o seu ponto mais crítico por volta de 2015, ano em que 80 por cento dos médicos terão mais de 55 anos.
Hoje em Portugal a pirâmide da distribuição dos médicos pelos vários cuidados de saúde está completamente invertida. Por cada médico nos CSP existem 3,6 médicos nos hospitais, enquanto na Dinamarca por cada médico hospitalar existem 4 médicos nos CSP.

Governo é parte do problema

Mas a falta de médicos, particularmente nos CSP, é apenas uma parte, importante sem dúvida, do todo que inclui a falta de outros profissionais do sector, como é o caso dos enfermeiros. De acordo com os rácios da Organização Mundial de Saúde faltam cerca de 20 mil enfermeiros no SNS, nomeadamente enfermeiros de família, peça central numa verdadeira política de Cuidados de Saúde Primários. Apesar disto mais de três mil enfermeiros estão desempregados e inscritos nos Centros de Emprego.
O Governo do PS não está em condições de encontrar soluções porque ele é parte do problema. Entretanto, para evitar a ruptura de alguns serviços, vai permitindo a subcontratação, mesmo em situações de clara ilegalidade, de profissionais através de empresas de aluguer de mão-de-obra que por vezes chegam a cobrar o dobro daquilo que pagam ao trabalhador. Ilegalidade que se comete com a contratação de pessoas para os próprios serviços do Ministério da Saúde.
A solução não passa por criar regimes de excepção e muito menos legalizar qualquer solução que passe pela possibilidade do mesmo profissional ter nos serviços públicos a reforma e um salário. Conter a saída para as reformas antecipadas passa pela alteração das regras de aposentação e por garantir melhores condições de trabalho e salariais, pela garantia do vínculo público e a valorização das carreiras.
É fundamental restabelecer o princípio de salário igual para trabalho e condições de trabalho iguais, tornando mais atractiva a prestação de serviço no SNS, bem como o espírito de missão conforme à prestação de um serviço público de saúde, garantindo elevados níveis de qualidade dos cuidados.

 

Jorge Pires
Membro da Comissão Política do PCP

Publicado no Jornal " AVANTE " de 25.03.2010

publicado por teresa roque às 05:20
Link do artigo | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009

Câmara cede cinco terrenos para centros de saúde

 

A CML discute esta 4ª fª a cedência do direito de superfície de cinco terrenos municipais destinados À construção dos centros de saúde da Belém, Boavista, Campolide, Carnide e Montinho de São Gonçalo. O direito de superfície dos terrenos é cedido pela autarquia à Administração Regional de Saúde por 99 anos para a construção de edifícios concebidos especificamente para prestarem cuidados de saúde.
De acordo com a proposta do executivo, o terreno municipal cedido para edificar a unidade de saúde do Montinho de São Gonçalo terá 2.200 metros quadrados, situando-se na Rua António Dacosta, entre a freguesia da Ameixoeira/Charneca, com um valor estimado em 455 mil euros.
No caso de Carnide, a unidade de saúde será instalada num terreno com 4.800 metros quadrados, onde hoje se localiza o Parque dos Artistas de Circo, na estrada da Correia, mesmo ao lado da Casa do Artista, com um valor estimado 1,9 milhões de euros.
Os terrenos foram validados pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que concluiu que apresentavam as “características adequadas à função a que se destinam, quer em termos de dimensão, quer de localização face à área de abrangência dos centros de saúde”.
A carta de equipamentos de saúde apontara para a necessidade de novas unidades nas áreas de influência dos centros de saúde de Benfica, Lumiar, Sete Rios, Olivais, Marvila, Ajuda e Alameda, concluindo como passíveis de avançar de imediato as unidades no Parque das Nações, no Montinho de S. Gonçalo (Alta de Lisboa), em Carnide, Benfica (Rua Rodrigues Migueis), Campolide, Pedrouços e no Bairro da Boavista.
A carta de equipamentos de saúde apontou também para a necessidade de criação de mais de 1.500 camas ou lugares em unidades de cuidados continuados, faltando determinar o grau do reforço necessário em meios humanos 1.
Recorde-se que há muito os utentes de saúde da Ameixoeira, Charneca e Lumiar vêm reivindicando a edificação do há quase 10 anos prometido Centro de Saúde do Montinho de São Gonçalo, tendo mesmo lançado uma petição 2. É que o Centro de Saúde do Lumiar, que serve a população das freguesias da zona norte da capital, tem inscritos cerca de 93.000 utentes. Porém, destes, mais de 20 mil não têm médico de família.
Por este e por outros justificados motivos, um grupo de utentes do Centro de Saúde do Lumiar constituí-se em Comissão Promotora de uma Associação de Defesa dos Utentes da Saúde das Freguesias da Ameixoeira, Charneca e Lumiar, promovendo um abaixo-assinado onde se vem exigindo o fim de utentes sem médico de família no Centro de Saúde do Lumiar.
Também os utentes de Carnide vêm protestado desde há alguns, quer ao Presidente da República, quer ao Ministro da Saúde, a quem entregaram um documento com 2.000 assinaturas reclamando um novo Centro de Saúde para Carnide, a sexta maior freguesia de Lisboa, que responda às necessidades dos cerca de 21 mil moradores da freguesia, dos quais 7 mil pessoas sem médico de família.
Na altura, a promessa do titular da pasta da Saúde acabou por, achando justa a reivindicação, considerar “que se poderá avançar para a instalação de uma unidade de saúde em contentores” 3. Eis porque é preciso continuar a lutar.
 
1. Ver www.destak.pt/artigos.php?art=40325
2. Ver www.petitiononline.com/AUSACL01/petition.html
3. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/28746.html
publicado por Sobreda às 01:00
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Saúde para todos

 

 Aprovada por UNANIMIDADE em reunião CML de 17 de Setembro de 2008

Proposta nº 818/2008
 
QUINTA DE S. LOURENÇO- CARNIDE
 
Considerando que,
Em 29/06/2005 foi aprovada por unanimidade, constituir a favor da Administração Regional de Saúde, para a construção do Centro de Saúde de Carnide, o direito de superfície pelo prazo de 50 anos, sobre uma parcela de terreno sita na Quinta de S. Lourenço, parcela esta onde actualmente se encontra ainda instalado o denominado Parque dos Artistas de Circo;
De acordo com os documentos anexos à referida deliberação, (deliberação 383/2005), no terreno onde se encontra instalado o referido Parque, seria ainda localizado um posto de limpeza municipal que ocuparia cerca de 1/3 da sua área total. 
Em 29/03/2006 foi aprovada por unanimidade a deliberação nº 132/2006, que incumbiu a EPUL de realizar o estudo urbanístico e um projecto de loteamento para o designado Bairro de Alvenaria do Bairro Padre Cruz, com o objectivo de realojar os 867 agregados familiares já identificados que residem actualmente no Bairro e ainda os 37 agregados familiares já identificados, do Parque dos Artistas de Circo;
Em 25/10/2006 foi aprovado por maioria o estudo de viabilidade financeira elaborado pela EPUL para a realização das operações urbanísticas do Bairro de Alvenaria do Bairro Padre Cruz, decorrentes da aprovação da proposta nº 132/2006, estudo que contemplava o realojamento das 37 agregados recenseados no Parque dos Artistas de Circo;
Após as eleições intercalares de 2007, os estudos elaborados pela EPUL para o Bairro de Alvenaria do Bairro Padre Cruz foram questionados, encontrando agora em fase de elaboração um novo projecto de loteamento para o bairro;
Os atrasos verificados neste processo condicionam directamente a resolução dos graves problemas sociais existentes no Parque dos Artistas de Circo, e ainda as prementes necessidades de um novo equipamento de prestação de cuidados de saúde primários, reivindicado há muito pela população de Carnide;
As condições de habitabilidade, salubridade e de segurança existentes no Parque dos Artistas de Circo tem vindo a degradar-se consideravelmente nos últimos meses;
De acordo com informação do Presidente da Junta de Freguesia de Carnide, são diversas as situações de perigosidade existentes que põe em risco os habitantes do Parque, sendo a gestão deste espaço da responsabilidade do Município;
Os Vereadores do PCP têm a honra de propor que a Câmara delibere, ao abrigo das disposições conjugadas da alínea b) do nº 1, da alínea f) e h) do nº 2, da alínea c) do nº 4, da alínea b) do nº 5 e da alínea d) do nº 7, todas do artigo 64º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, na redação que lhe foi dada pela lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro:
 
  1. Proceder a uma vistoria rigorosa ao espaço denominado Parque dos Artistas de Circo, detectando todas as situações de perigosidade e salubridade existentes, no sentido de as colmatar;
  2. Garantir a limpeza, protecção e segurança dentro do espaço, fiscalizando e impedindo novas admissões de moradores no espaço;
  3. Recensear todos os moradores que habitam no espaço, confrontando a situação actual com as situações detectadas em 2006, para efeitos de realojamento;
  4. Detectar todas as situações de moradores que habitam indevidamente o espaço possuindo, eventualmente, outra habitação, no concelho ou na Área Metropolitana de Lisboa;
  5. Proceder, com a urgência possível, no sentido de se encontrar uma solução definitiva para os moradores do Parque com direito a realojamento e para a desocupação do terreno afecto ao Parque dos Artistas de Circo, possibilitando desta forma a construção do novo centro de Saúde de Carnide e o novo posto de limpeza do Município.
 
Lisboa, 3 de Setembro de 2008
 
Os Vereadores do PCP
____________________________________________________________
 

 

publicado por teresa roque às 09:53
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 9 de Junho de 2008

População em luta pelo direito à saúde

Esta extenção servia também a população da Charneca 
A população de Camarate está em luta contra à decisão do Ministério da Saúde de encerrar a extensão de saúde daquela freguesia, transferindo os utentes para o Centro de Saúde de Sacavém, e, a par da suspensão do encerramento da actual extensão de saúde exige a adopção de medidas que visem a curto prazo o inicio da construção da nova extensão de Camarate, no terreno indicado em 2000 pela Câmara e aceite então pelo Ministério. O PCP está activamente solidário com esta luta

publicado por teresa roque às 20:27
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 9 de Abril de 2007

Mapa da Saúde no Lumiar

A Unidade de Saúde Setentrional A é constituída pelo Hospital de Santa Maria EPE, Hospital Pulido Valente EPE e pelos Centros de Saúde de Alvalade, Benfica, Loures Lumiar, Odivelas e Pontinha.

No Lumiar, existem ainda:

- o Centro de Saúde Escolar dos Serviços de Acção Social da Universidade de Lisboa [www.sasul.pt/servicos/?saude];
-  a Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa [www.ensp.unl.pt];

- o Hospital da Força Aérea [www.emfa.pt/www/unidades/unidadedetalhe.php?lang=pt&key=13211];

-  o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge [www.insarj.pt/site/insa_home_00.asp].

 


Contactos do Centro de Saúde do Lumiar:
Alameda das Linhas de Torres, nº 243

1750-144 Lisboa

Telefone: 217 573 121

Fax: 217 599 567

Correio electrónico: lumiar@srslisboa.min-saude.pt

Horário de atendimento: De 2ª a 6ª das 8:00 às 20:00

Área de influência: Freguesias de Ameixoeira, Charneca e Lumiar

Extensões:

Alta do Lumiar
Posto Médico da Alta de Lisboa
Topo Norte da Alameda da Música
frente ao Parque Oeste
1750 Lisboa
[a inaugurar em breve e em substituição provisória do ex-Posto Médico da Musgueira Norte]

Charneca
R. Cidade de Lisboa, lote 3, 1º Esq.
2685-037 Camarate
Telefone: 219 473 032
[ameaçado de encerramento]

Pneumologia
Centro de Diagnóstico Pulmonar
Alameda das Linhas de Torres, 117
1769-001 Lisboa
Telefone: 217 549 050

publicado por Sobreda às 01:17
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 7 de Março de 2007

Extensões do Centro de Saúde

Uma das duas extensões do Centro de Saúde (CS) do Lumiar localiza-se em Camarate (o outro está por abrir na Alta do Lumiar).

Devido às suas más condições, incluindo a inexistência de elevadores, os moradores de Camarate promoveram durante estas duas últimas noites uma vigília para exigir a construção de um novo CS. Caso o actual CS venha a encerrar ou a ser transferido para o da Alta do Lumiar, os cinco mil utentes que lá estão inscritos terão de ser transferidos para o CS de Sacavém, que já atende cerca de 18 mil utentes.

A outra extensão do Lumiar tem estado em mudanças das antigas instalações da ex-Musgueira para duas lojas na Alta do Lumiar, continuando a aguardar a conclusão das obras para poder ser inaugurada. Mesmo estas não terão capacidade para albergar os cinco mil utentes que poderão vir de Camarate.

Mais do que nunca se justifica a construção de raiz de um CS na área geográfica do Lumiar. Para quando o projecto?

publicado por Sobreda às 03:09
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 10 de Fevereiro de 2007

Do doente barracão para um prolongado trabalho de parto

O Centro de Saúde do Lumiar (CS), situado na Alameda das Linhas de Torres, possuía uma extensão sem as condições mínimas a funcionar num barracão da ex-Musgueira, que “estoicamente resistia em vergonhosas condições” e que encerrou em Outubro do ano passado. O Ministério da Saúde resolveu fechá-la e desactivá-la até ser feita a sua transferência para duas lojas cedidas pela Câmara de Lisboa no Condomínio da Torre, na Rua David Mourão Ferreira, e que entretanto haviam já recebido obras de beneficiação em Maio de 2006.

Ora, segundo o Público de ontem, o velho equipamento foi encerrado em Outubro devido a uma situação de "perigosidade iminente para os utentes e profissionais" e cerca de 7500 utentes têm agora de se deslocar ao edifício da Alameda das Linhas de Torres para ter uma consulta, pois o “Centro de Saúde do Alto Lumiar continua sem data para abrir”. “As instalações da Rua David Mourão Ferreira foram construídas pela Sociedade Gestora da Alta de Lisboa e cedidas pela Câmara Municipal de Lisboa à ARS, para que ali funcionasse a extensão do Centro de Saúde do Lumiar”. E até hoje…

A situação não é nova para os eleitos da CDU na Assembleia de Freguesia, que no final do ano passado realizaram um encontro com a direcção médica e de enfermagem do CS no Lumiar, ficando a saber que os recursos humanos são claramente insuficientes para a população servida. Existem 37.524 utentes inscritos e 9.471, entre os 15 mil na zona norte, sem médico de família. A estes juntam-se os mais de 7.000 inscritos, da antiga Musgueira, incluindo 1.189 sem médico de família.

Enquanto na sede do CS continua a grave falta de recursos - faltam médicos de clínica geral ou de família, enfermeiros e administrativos, a par do deficit de instalações, com a inadequação das existentes, por se encontrar instalada num prédio de habitação, e com uma falha estrutural nos seus acessos para deficientes -, desconhece-se quando abrirá as portas a nova extensão na Alta do Lumiar.

Neste contexto, a Assembleia de Freguesia do Lumiar deliberou aprovar por maioria, na sessão de 2006-12-14, a proposta dos eleitos da CDU de exigir a promoção e valorização do Serviço Nacional de Saúde, tendencialmente gratuito, a defesa do acesso com igualdade de oportunidades dos portugueses à Saúde, que se invista prioritariamente nos Cuidados Primários de Saúde, dotando-os de recursos humanos necessários, nomeadamente médicos, bem como seja construído o novo Centro de Saúde no espaço para ele já reservado.

Questionada pela jornalista do Público, a coordenadora da sub-região de saúde de Lisboa da ARS explicou que "estão a decorrer as diligências necessárias para obter a aprovação de uma série de projectos" do novo equipamento, nomeadamente junto da EDP, EPAL e Regimento de Sapadores de Bombeiros de Lisboa. Segundo Manuela Peleteiro, há ainda que "corrigir algumas não conformidades" nas obras de adaptação realizadas nas instalações da Rua David Mourão Ferreira, concluindo que se está dependente da finalização de todos estes procedimentos, pelo que não tem ainda data marcada. A coordenadora da sub-região de saúde de Lisboa afirmou apenas que tal ocorrerá "logo que possível" e após "decorrer o processo de aquisição do mobiliário", actualmente "em fase de entrega". As justificações da ARS poderão não ter convencido o presidente da Junta de Freguesia, que diz que "não se compreende por que é que a extensão não está aberta". Porém nem tudo foi dito, quer pela ARS, quer pela JFLumiar.

É que segundo informação da própria Direcção do CS, a Câmara de Lisboa entregou as referidas instalações provisórias num espaço reduzido e sem licenciamento. Toda esta situação se assume, por isso, como um logro para os profissionais da saúde e os milhares de utentes, por não resolver a falta de instalações, nem de um modo adequado, nem sequer como foi prometido, ou seja, com a construção de um Centro de Saúde de raiz. Porque não se opta então por construir esse novo Centro de Saúde no espaço para ele já reservado, e dotado dos recursos humanos considerados necessários pela Direcção clínica?

Encerrou-se um barracão doente e cederam-se dois espaços sem saúde. São quase nove meses de atraso. Quantos mais terão as lojas gémeas de esperar para ver a luz do dia? Poder-se-á ter acabado com a vergonha do ‘doente’ barracão na antiga Musgueira, mas continua a incompetência da burocracia para autorizar a utilização das lojas. Poder-se-á continuar à espera que a ARS e CML cheguem a acordo para o aluguer do novo espaço na Alta do Lumiar, mas sem licenças camarárias essa abertura será um parto difícil.

(Foto inserida no URL http://viveraltadelisboa.blogspot.com/2007/01/boas-ideias-para-2007-centro-de-sade.html)

publicado por Sobreda às 01:39
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

.Contacta a CDU Lumiar:

E-mail: cdulumiar@sapo.pt ; Website: http://cdulumiar.no.sapo.pt

.Participar

. Participe neste blogue

.Fotos do Sapo

http://fotos.sapo.pt/login?to=manage