Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Obras na escola pré-fabri...

. Breve história da Igreja ...

. Do Jardim Caldeira Cabral...

. Convento da Igreja da Por...

. CML prepara-se para const...

. Polícias queixam-se de pr...

. Associação de Residentes ...

. Pendões da CDU em Telheir...

. Última escola pré-fabrica...

. Expansão das linhas do Me...

. (Apesar de tudo) Telheira...

. Segurança ferido num hipe...

. Petição sobre o traçado d...

. Já há caixote e lixo tamb...

. Um parque infantil entala...

. Áreas expectantes continu...

. Assalto a multibanco com ...

. Alto da Faia ao abandono

. Recomendação sobre o ‘Par...

. Era uma vez uma Nora

. Quando a cozinha é um lab...

. Iniciativas da CDU em Tel...

. Telheiras vai receber a C...

. CDU, por uma vida melhor ...

. Menino electrocutado dá n...

. Novo loteamento ‘Alto da ...

. ‘Guarda-sol Amarelo’ numa...

. Excessos de rivalidade en...

. Teatroàparte apresenta ‘G...

. Alterações climáticas no ...

. Escola de Telheiras vai p...

. Petição sobre os terrenos...

. Palestra sobre Ciência na...

. O regresso do Conselho Mu...

. Toponímia para jovem que ...

. Telheiras, um bairro em m...

. Escolas de Telheiras

. Telheiras e Ameixoeira de...

. Eco-ilhas em Carnide vers...

. Candeeiros na Quinta de S...

. Quem descasa também quer ...

. Hoje em Telheiras há pess...

. Novo ‘parque de estaciona...

. Serviço ‘Mob Carsharing’

. Trancas à porta

. Festa de Natal da ART

. Nova farmácia em Telheira...

. ‘Casas’ pelo teatroàparte

. Em prisão domiciliária à ...

. EPUL em falência técnica

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

.Contacta a CDU Lumiar:

E-mail: cdulumiar@sapo.pt ; Website: http://cdulumiar.no.sapo.pt

.Fotos do Sapo

http://fotos.sapo.pt/login?to=manage
Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Obras na escola pré-fabricada de Telheiras?!

"A última escola pré-fabricada de Lisboa, na R. Fernanda Namora, em Telheiras, já (?) entrou em obras para dar origem à Escola Básica Integrada de Telheiras. Dentro de um ano a escola espera receber cerca de 500 alunos, do pré-escolar ao 3º ciclo".
Talvez "já tenha entrado em obras", mas ainda ontem à noite desci no 767 lá em frente a caminho de casa, e não me apercebi de nada. Se calhar por já estar muito 'lusco-fusco'...
IN Destak, 2010-03-04, p. 3
Ver novo site das escolas de Telheiras em www.aetelheiras.edu.pt
Ler ainda http://aeiou.expresso.pt/lisboa-ultima-escola-pre-fabricada-da-capital-vai-ser-demolida-cfotos=f533965
publicado por cdulumiar às 17:05
Link do artigo | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 5 de Outubro de 2009

Breve história da Igreja de Nª Srª da Porta do Céu

 

Na sequência de notícia anterior, complementa-se a informação com uma breve nota histórica sobre a Igreja de Nª Srª da Porta do Céu 1.
 

 

 

1. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/557636.html
publicado por Sobreda às 00:14
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 4 de Outubro de 2009

Do Jardim Caldeira Cabral ao NAT Nascente

 

Nem só de espaços degradados se ‘fazem notícias’. Por vezes, algumas zonas lúdicas dispõem de pequenos recantos de lazer, como no caso do Jardim Caldeira Cabral, em Telheiras, junto à estação do Metro 1.

 

 

Mas do lado nascente deste espaço verde, os moradores assistem ao reverso da medalha 2. É o caso do NAT Nascente de Telheiras, de que já antes, neste blogue, se dera notícia 2.
Para o local, a EPUL insiste na pretensão de construir mais um novo edifício - o R4/5 - na esquina entre as Ruas prof. Francisco Gentil e Eduardo Araújo Coelho. No entanto, este espaço está classificado em PDM como “Quinta e Jardim Histórico” e faz parte do sistema verde seco da Estrutura Ecológica Urbana da cidade.
Por isso os moradores insistem na integral preservação da Quinta de Sant'Ana, como património verde local, sugerindo, também, a edificação de hortas pedagógicas, em memória da que até há 2 décadas atrás lá existiu.
 
1. Ver também http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/330477.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/351252.html
2. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/355071.html
publicado por Sobreda às 00:20
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 3 de Outubro de 2009

Convento da Igreja da Porta de Nª Srª do Céu

 

Os anos vão passando e o Convento da Igreja da Porta de Nª Srª do Céu continua degradando-se, ano após ano, situação que neste blogue já aqui foi anteriormente descrita 1.
Falou-se de ser adaptado a uma residência sénior que, mais ano menos ano, começará a fazer falta em Telheiras. E porque não uma residência universitária, visto que a Cidade Universitária se localiza relativamente perto? Também podia ser adaptado a um museu temático, incluindo, ou não, serviços complementares da Igreja da Porta de Nª Srª do Céu.
O que não se compreende é a EPUL não se decidir em lhe dar um destino condigno com o restante património histórico e ambiental envolvente.
 
1. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/348423.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/348221.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/51021.html
publicado por Sobreda às 00:27
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

CML prepara-se para construir estacionamento em terreno previsto para escola

E eis senão quando, ontem a meio da tarde, no baldio expectante entre as Ruas Luís da Cunha Gonçalves e Moisés Amzalak, no topo sul, junto à Clínica Psiquiátrica de D. José, nasceu, sem aviso prévio, uma extensa vedação metálica.

 

 

Para este terreno, as plantas municipais têm prevista a construção de uma escola de ensino básico, o que se justifica plenamente, se considerarmos que se trata de um bairro recente de Telheiras - Quinta de Santo António - com muitos casais jovens e filhos pequenos.
A obra vai estar a cargo da Vibeiras, que por acaso até é especializada em arquitectura paisagista 1, trabalhando, entre outras para a EPUL, para quem recupera os espaços ajardinados ao redor do Metro de Telheiras.
No entanto, interpolados os funcionários daquela empresa que procediam à armação da estrutura metálica, sobre para que servia aquele gradeamento, esclareceram que a empresa recebera instruções da CML para isolar o local e ali construir um parque. Como parque infantil já se encontra um em construção a menos de 100 metros, junto ao topo nascente da Clínica de São José 2, tal parque só poderá ser de estacionamento.

 

 

Em primeiro lugar, não existe qualquer placa informativa da CML sobre a obra ‘em curso’, custo e tempo de execução previsto, qual o departamento da CML que autorizou, qual o responsável pela obra, etc. Aquela zona serve ainda de local de inversão de marcha dos veículos dos residentes no local.
Segundo, os moradores desconhecem qualquer auscultação da CML, nem lhes foi prestada qualquer informação, nem aos condomínios das redondezas, sobre qual o projecto em curso e se sempre se mantém a projectada (e tão necessária) escola de ensino básico ou, até, um também muito desejado jardim.
Terceiro, acontece que a colocação da grade impede a circulação dos peões entre a Rua Moisés Amzalak e a Alameda da Quinta de Santo António e Rua Fernanda Namora, e vice-versa, onde circula, por exemplo, a carreira 767 da Carris, obrigando a que dêem a volta aos blocos de edifícios, inviabilizando um acesso mais fácil, principalmente agora que vem aí o horário de Inverno e dias mais escuros.

 

 

Quarto, todo o espaço circundante não possui iluminação pública, excepto o das referidas vias ou os focos de luz colocados e pagos pelo orçamento do próprio condomínio, para além de que a área em causa tem sido abusivamente ocupada pelas camionetas de duas grandes empresas das imediações: um grande hipermercado e uma empresa de aluguer de veículos. Será que o estacionamento se trata de um ‘pedido expresso’ dessas duas empresas privadas?

De um facto ninguém tem dúvidas: faltam 11 dias para as eleições autárquicas!! Mas também ninguém duvida que, nesse escasso prazo, não pode nascer ‘obra a obra’. Irão ser, não 11 dias, mas 11 meses de chapas e arames? Ou terá o mesmo destino do tapume que circunda, há muitos anos, o terreno do futuro parque desportivo junto à Rua Augusto Macedo, a escassa centena de metros da Clínica de São José, a poente da Azinhaga da Torre do Fato?
No mínimo, e independentemente do óbvio período eleitoral, os moradores/pagadores de impostos municipais mereciam uma palavra da CML.
 
1. Ver www.vibeiras.pt
2. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/508581.html
publicado por Sobreda às 01:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Polícias queixam-se de pressões para passarem mais multas

Elementos da 5ª Divisão de Lisboa da PSP (na Penha de França) queixam-se de estar a ser forçados pelo 2º Comandante para aumentar o número de autuações, sob ameaça de mudança de Secção se não se destacarem nas estatísticas mensais.

Esta situação foi relatada na 6ª fª por elementos daquela divisão, que pediram para não serem identificados por temerem represálias, e confirmada pelo presidente do Sindicato Unificado de Polícia, que desempenha funções precisamente na 5ª Divisão.

 

 

Contudo, a medida deverá mesmo estar a ser seguida noutros locais da cidade. Por exemplo, fez exactamente ontem uma semana, que os agentes de trânsito procederam a uma acção semelhante na Estrada de Telheiras, e apenas no passeio do lado direito do troço entre a Igreja de Nossa Senhora das Portas do Céu e a Rua prof. Eduardo Araújo Coelho.
Muito estranho não é o facto de as rodas de todas as viaturas terem sido bloqueadas, mas sim não existir, naquele troço, qualquer sinal vertical de proibição de estacionamento!!

 

 

Ainda sobre o mesmo assunto, a Direcção Nacional da PSP, através do gabinete de Relações Públicas, declarou que “não estão definidos 'rankings' na Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial (EIFP), não foram proferidas ameaças e não estão consignados prémios”. “São apenas definidas operações a nível de EIFP, que são depois executadas pelas diferentes Equipas de Intervenção Rápida”.
Parece que face à “saída de elementos daquela Esquadra para o Porto, o comandante daquela divisão, após a redefinição das Equipas de Intervenção Rápida, reuniu com todo o efectivo no sentido de clarificar as missões que estão consignadas àquelas equipas e os deveres inerentes ao serviço”, segundo os quais “nesta reunião, ficou clarificado o âmbito da missão, nomeadamente a prossecução de operações policiais e o desenvolvimento de relatórios no fim do serviço que determinarão uma adequada percepção do trabalho desenvolvido durante o turno”.
Ora, de acordo com o relato dos elementos daquela Divisão, está a ser implantado um denominado ‘Código de Conduta’ pelo 2º Comandante e criado um ‘ranking’ mensal onde só têm ascensão na carreira e ‘prémios de produtividade’ os elementos que passarem mais multas. A partir de hoje, 2ª fª, esta situação deverá estender-se aos polícias que fizerem mais detenções.
Relataram ainda que os agentes estão a ser informadas individualmente pelo próprio Comissário, em conversa no seu gabinete, a sós ou acompanhados pelo chefe de Secção. Quando não atingem os objectivos alegadamente estabelecidos, dizem estar a ser chamados e confrontados com ameaças de saída da Secção onde se encontram ou saída da Divisão.
“Os graduados são obrigados a chamar diariamente à atenção os agentes para que efectuem mais autuações”, disse uma das fontes, acrescentando que há dias em que são feitas operações STOP de manhã e outra à tarde. As mesmas fontes adiantaram que estes procedimentos estão a ser transmitidos também aos novos elementos que chegam à 5ª Divisão, “para que sintam as mudanças e aprendam que têm de autuar”. Segundo os testemunhos, esta situação está a criar “um grave mal-estar” entre oficiais, subchefes e agentes, que receiam resistir às ordens de aumentar o nível de autuações e de detenções.
O próprio presidente do Sindicato Unificado de Polícia confirmou a existência destas pressões par aumentar a quantidade de multas e especificou que estas situações sucedem mais nas Equipas de Intervenção e Fiscalização Policial, relativamente às Secções de Intervenção Rápida. Todavia, os elementos da PSP “não podem aceitar estas situações, que estão a gerar um grande desgaste no seio do pessoal da 5ª Divisão” e que o Sindicato Unificado de Polícia “está contra esta forma de actuação”.
O dirigente sindical relatou que a argumentação para estas listas é a falta de produtividade, mas realçou que a produtividade não se mede por autuações, sublinhando que a primeira função policial é prevenir e combater a criminalidade, num efectivo policiamento de proximidade e aconselhamento para com o cidadão, e não a caça à multa.
 
Ver www.destak.pt/artigo/41234
publicado por Sobreda às 00:20
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Associação de Residentes de Telheiras reuniu com a administração da EPUL

O Presidente do Conselho de Administração da EPUL e a direcção da Associação de Residentes de Telheiras (ART) 1 reuniram, no passado dia 7 de Setembro, enquadrando-se o encontro num dos objectivos pragmáticos do Plano Estratégico da EPUL para 2009/2013: promover uma interacção entre a actividade da empresa e os seus parceiros locais, de forma a tornar a EPUL numa empresa sustentável, com responsabilidade social e ambiental.

No encontro, a presidente da ART, Cidália Figueiredo, informou o presidente do Conselho de Administração da EPUL que a Associação pretende “fazer de Telheiras uma cidade moderna, bonita, sustentada, vivida com gente” e “com sentido de bairro”.
Nesse sentido, a responsável transmitiu ao presidente da EPUL um conjunto de preocupações, fora do âmbito da acção da EPUL, que se prendem com a densidade de construção no local levada a cabo por uma empresa privada, como o desordenamento do trânsito, a falta de equipamentos desportivos e de circuitos de manutenção ou ainda as complicações decorrentes da existência de dois estádios de futebol, nos limites geográficos do bairro.
De igual modo, a ART apelou ao Presidente da EPUL que promova a criação de hortas pedagógicas em Telheiras, proceda a uma gestão cuidada dos arranjos exteriores aos edifícios, que tenha em conta os vastos recursos hídricos de Telheiras quando fizer construção nova.
A ART apelou ainda a que a EPUL ajude a Associação a ter uma sede, uma vez que a mesma completou 20 anos de existência e se defronta com a falta de espaço, na Rua prof. Mário Chicó.
A EPUL acolheu, com agrado, a sugestão de serem criadas hortas pedagógicas em Telheiras, afiançando que vai apoiar o projecto, disponibilizando-se também para ajudar nos legítimos interesses dos habitantes de Telheiras nas suas áreas de preocupação 2.
 
1. Ver www.artelheiras.pt/pages/index.php
2. Ver www.epul.pt/?id_categoria=8&id_item=240
Temas: , ,
publicado por Sobreda às 00:05
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Pendões da CDU em Telheiras

 

Abriu a campanha para as próximas eleições - legislativas a 27 de Setembro - continuada, logo de seguida, pela das autárquicas a 11 de Outubro.

Os pendões da CDU também já estão em Telheiras.

 

 

Sobre o Programa Eleitoral e as Medidas Urgentes propostas pela CDU - PCP, PEV e ID - consulte-se www.cdu.pt

Sobre as iniciativas da CDU em Lisboa consultar, com regularidade, http://cdudelisboa.blogspot.com

Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

Última escola pré-fabricada da capital vai ser demolida

A última escola pré-fabricada do concelho de Lisboa, que está em avançado estado de degradação fica, nem mais, nem menos, no ‘jovem’ bairro de Telheiras, na Rua Fernando Namora 1.

 

O Ministério acabou finalmente de dar razão às queixas da comunidade escolar, sobre o deficiente estado daquele equipamento, e decidiu que estava na hora de ser demolido para dar lugar, em 2010, à nova escola básica integrada de Telheiras.
A construção da nova escola insere-se num programa governamental de requalificação de 50 escolas básicas cujas instalações foram identificadas como estando em condições de degradação.
No caso desta Escola Básica dos 2º e 3º ciclos de Telheiras nº 2, o equipamento funcionava há cerca de 30 anos em pavilhões pré-fabricados, com “poucas condições e a necessitar de obras urgentes”, como acabou por reconhecer o Ministério da Educação.
Para dar resposta à situação, foi decidido demolir as actuais instalações e construir em duas fases uma nova escola que deverá estar a funcionar em pleno a partir do ano lectivo 2011-2012.
A par deste novo equipamento, num protocolo assinado 6ª fª entre o Ministério da Educação, a CML e a Parque Expo, ficou estabelecido ainda a construção da nova escola básica integrada da zona Sul do Parque das Nações, e a requalificação da escola básica Luís António Verney, situada no Bairro Madre de Deus 2.
No mapa da rede escolar de Telheiras 3, tem sido um equipamento escolar ‘provisório’ que se transformou em definitivo durante três décadas. As queixas de professores, associação de pais, alunos e moradores repetiam-se ano após ano. E valeu a pena. Já não era sem tempo.
 
1. Ver www.eb23-telheiras-2.rcts.pt
2. Ver Lusa doc. nº 10080368, 04/09/2009 - 14:41
3. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/25251.html
publicado por Sobreda às 00:12
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

Expansão das linhas do Metro até 2020

Havíamos noticiado neste blogue a previsão de crescimento futuro das actuais linhas do Metro de Lisboa 1.

 

Ora, além das 30 novas estações anunciadas pelo Governo, também a autarquia sugeriu um alargamento pela Alta do Lumiar, através de uma bifurcação na Linha Vermelha e de uma linha de Metro ligeiro.
A CML propôs assim “o estudo de uma linha de Metro Ligeiro, que faça circular pela Alta de Lisboa, Ameixoeira, S. Francisco de Assis e Quinta das Mouras”, o que significará mais oito novas estações na zona norte da cidade.
A maior expansão teria então lugar na Linha Vermelha, unindo o Oriente ao Aeroporto (se este ainda existir na altura), seguindo a linha para o Campo Grande, num destino que passaria por Telheiras, Rua Fernando Namora / Alameda Roentgen, Senhora da Luz / São Francisco de Assis, Bairro Padre Cruz , e terminaria no Hospital Amadora-Sintra.
Por outro lado, o Governo assume que este traçado pode ainda sofrer alterações. Falta também saber qual a receptividade do Metro de Lisboa às reivindicações da autarquia que, recorde-se, perdeu recentemente o assento que tinha no Metro de Lisboa.
Na proposta de emissão de parecer levada à sessão camarária, o próprio executivo criticou a falta de presença da autarquia na definição do rumo do Metro. “Durante décadas a CML esteve arredada do planeamento da rede de metro que serve a cidade com as consequências negativas que daí resultaram”, escreveram os vereadores numa crítica aos governos PS e PSD.
A rede do Metro de Lisboa, que tem actualmente 37,7 km, ficaria assim com um total de 66,7 km. Isto, claro, se o plano deste Governo (e dos que se lhe seguirão) se concretizar 2.
 
1. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/541167.html
2. Ver http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1351423&seccao=Sul
publicado por Sobreda às 00:19
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

(Apesar de tudo) Telheiras é a paixão dos seus moradores

 

A ervanária ainda não abriu a porta, apesar de serem cinco da tarde. A loja das camisas tem o letreiro a dizer ‘aberto’, luzes acesas e trancas na porta. O restaurante está sempre de cortinas corridas, com ar de fechado para balanço. Estes estabelecimentos estão abertos, mas à porta fechada. É preciso bater à porta ou tocar à campainha para entrar.

Num beco da zona nova de Telheiras, junto ao hipermercado (da Av. das Nações Unidas), a papelaria foi assaltada duas vezes e o dono teve uma arma apontada às costas. No restaurante Lizárran, da esquina, já entraram de caçadeiras 1. A loja das camisas foi assaltada num dia de Julho e, três dias depois, foi a vez da loja de brinquedos.
As clientes do cabeleireiro foram trancadas no gabinete de estética. Uma família foi assaltada num 6º andar mas só deu por isso quando o filho não encontrou os 600 euros que estavam no mealheiro em forma de porco. O arrendamento de uma loja de 30 metros quadrados custa perto de 1500 euros. E se uns acham que não vale o preço, outros dizem que Telheiras é um bairro tão bom para se viver que merece o risco.
“Nem que me oferecessem uma casa eu vivia aqui. Isto é um bairro de casas modernas num cenário que parece de há 50 anos”, diz a dona de um café.

 

 

A empregada da engomadoria Joaninha, próxima do prédio onde, recentemente, uma adolescente de 17 anos foi violada na semana passada 2, pelo contrário, lamenta que “não dá para viver aqui. As casas são lindas, mas são mesmo para os ricos”.

O dono da loja de camisas, a quem já roubaram várias vezes camisas pela caixa de correio com um gancho comprido e que planeia pôr grades, ainda não encontrou motivos para mudar de zona: “Estou neste ramo há 20 anos e em Telheiras há cinco. A verdade é que aqui há bons clientes”.
Telheiras, com amor Quem mais morre de amores por Telheiras são os primeiros, os que foram viver para um bairro recém-nascido colado ao Estádio de Alvalade, quando Telheiras deixou de ser uma aldeia e passou a ser um bairro urbano, planeado pela EPUL nos anos 70.
O bairro urbano de Telheiras nasceu nos anos 1970 e já foi candidato a melhor bairro da Europa
O charme do bairro “Telheiras tem um carisma muito especial. Gosto muito de viver aqui”, diz uma empregada bancária de 51 anos. Desvaloriza as conversas de café sobre o violador: “Tenho a sensação de que as coisas às vezes são um bocadinho empoladas. É evidente que não há nenhum sítio que seja 100% seguro. Mas Telheiras é um bairro pacato. Os meus filhos, quando saem à noite, vêm de metro para casa sem qualquer problema. Faço parte do grupo de teatro, venho para casa sozinha à meia-noite e tal tranquilamente”.

 

 

O crime diminuiu? A verdade é que naquela noite houve cinco violações na Grande Lisboa, só uma delas em Telheiras. E o chefe da PSP da 19ª esquadra de Telheiras garante: “Estou aqui desde 1991 e nunca houve tão pouca criminalidade como agora. Os casos de criminalidade mais badalados foram facilmente resolvidos com brigadas à civil”.
A EPUL escolheu Telheiras para se candidatar ao ‘Prix Rotthier 2008 - O Melhor Bairro da Europa’ 3. O que tem Telheiras para ambicionar ser o melhor da Europa?
Os moradores respondem sem esforço. O mesmo que tem para lhes ser tão querido. Ruas - quase todas - impecavelmente limpas e ‘sem cocós’, parques infantis, espaços verdes, escolas bem cotadas nos rankings, prédios com isolamento e pintados como novos, garagens, comércio tradicional, uma associação de residentes activa, bons acessos, proximidade do centro de Lisboa, tranquilidade de aldeia, zona de bares e esplanadas “simpáticas e concorridas”.
Na classe média alta “é um bairro muito bem frequentado, com médicos, políticos, procuradores, professores universitários. Costumo dizer que sou o único não doutor do meu prédio”, diz um reformado de cabelos brancos que segura os óculos no nariz. E há mais: “É um bairro jovem, com gente bonita”.
Confirma-se: a freguesia do Lumiar é uma das mais populosas de Lisboa e também uma das mais jovens. Porque o bairro renova-se.
“A minha filha também vive aqui", continua o reformado, que comprou um T3 em 1980 por 8 mil contos (hoje um T3 custa entre os 200 e os 350 mil euros). “Nós somos a primeira geração de Telheiras. Mas já há uma segunda geração que escolhe aqui viver”, diz um casal que há 15 anos vê em Telheiras “o local ideal para viver em Lisboa” - apesar de a filha ter sido assaltada no elevador sob a ameaça de um x-acto.
Depois há a tal segunda geração de telheirenses. Vive há quatro anos numa Telheiras renovada que se estendeu para Carnide e para o Paço do Lumiar e só tem razões para dizer bem. “Está dentro de Lisboa mas é sossegado. Tem metro e transportes, mercearias de bairro faseadas com hipermercados, bares à noite e uma óptima biblioteca municipal com internet grátis”, enumera um jovem técnico de gestão de projectos de 25 anos.

 

 

Moradores e comerciantes disparam mil justificações para que o bairro - que ficou conhecido como o “bairro dos doutores” e onde o mais fácil é encontrar prédios iguais cor-de-rosa barbie - tenha episódios pontuais de criminalidade.
“Se fosse um bairro pobre, os ladrões não vinham para aqui, não é?”, questiona a dona do Claket Café, forrado a posters de cinema. E assume entre dentes que, apesar de nunca ter tido problemas, no Inverno fecha a porta às 18h30 e só atende quando vê que a pessoa a espreitar pelo vidro “é conhecida”.
Falam da concentração de riqueza, da proximidade do bairro da Horta Nova, das casas vazias durante o dia “num bairro cada vez mais dormitório”, dos riscos de ter uma estação de metro fim de linha e “ponto de paragem de autocarros vindos da Damaia e da Pontinha”, da arquitectura do bairro com becos e arcadas, onde “é fácil esconder e fugir”.
O chefe da esquadra não duvida que o chavão de bairro de classe média/média-alta é o melhor íman para os assaltantes: “Sabe-se que Telheiras é uma zona de bons carros e como as pessoas têm um melhor nível de vida é mais provável que tenham ouro e outros bens valiosos em casa”.
O futebol tem as costas largas e chega ao pódio no vox-pop. Todos os moradores, sem excepção, dizem que os maiores problemas de Telheiras chegam nos dias de jogo. Males de um bairro plantado entre os dois estádios dos grandes e colado a Alvalade quase como um pega-monstro.
“Já me chegaram a estacionar na rampa de acesso à garagem”, afirma uma moradora que da janela avista os azulejos coloridos do estádio de Tomás Taveira. O residente ‘não doutor’ do “bairro dos doutores”, fala antes de um “aproveitamento do futebol” com convicção: “Vêm pessoas de todo o sítio ao futebol. Não digo os adeptos, mas os que vêm com eles. Há mais gente no bairro, passam mais despercebidos. Veja, a violação foi num dia de futebol” 4.
 
1. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/54900.html
2. Ver www.ionline.pt/conteudo/19149-violacao-homem-30-anos-identificado-crimes-sexuais-
3. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/154911.html
4. Ver também o vídeo IN www.ionline.pt/conteudo/20139-telheiras-crimes-nao-matam-paixao-dos-moradores---video
publicado por Sobreda às 00:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

Segurança ferido num hipermercado em Telheiras

Um segurança foi hoje ferido na face “com um objecto cortante” dentro de um Hipermercado localizado na Av. das Nações Unidas, em Telheiras, segundo informou fonte do INEM.

Os primeiros socorros foram prestados por um médico e um enfermeiro do INEM que, embora não se encontrassem de serviço, estavam no local e de imediato assistiram o homem.
O incidente foi reportado ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) e enviada uma ambulância para transportar o ferido para o Hospital de Santa Maria.
A única indicação disponibilizada pelo INEM refere que o ferido é um “segurança, do sexo masculino, agredido na face com um objecto cortante”.
Uma funcionária do hipermercado, que preferiu não se identificar, disse que a agressão estará relacionada com um grupo de rapazes apanhados a furtar no estabelecimento. O grupo terá sido interceptado e levado para o gabinete dos seguranças.
A agressão de hoje poderá ser uma represália pelo incidente. Fonte da PSP de Telheiras confirmou apenas o registo de “distúrbios” no hipermercado e que foi enviado para o local um carro-patrulha.
No local, agentes da polícia escusaram-se a falar e apenas referiram que o agressor não foi detido. Os responsáveis do hipermercado também se escusaram a prestar declarações.
 
Ver Lusa doc. nº 10068077, 01/09/2009 - 13:31
publicado por Sobreda às 13:57
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 8 de Agosto de 2009

Petição sobre o traçado da ciclovia

«Fomos todos surpreendidos com o início de uma obra na Av. do Colégio Militar! Com o pretexto da construção de mais um troço de uma ciclovia, a CML, através do seu Presidente e do vereador dos espaços verdes e públicos, estão a reduzir de quatro para duas as faixas de rodagem na Av. do Colégio Militar.

O projecto desta obra não foi discutido com nenhum dos intervenientes locais!
Temos sérias reservas quanto à redução para duas faixas de rodagem de uma importante artéria da freguesia de Carnide, como é o caso da Av. do Colégio Militar!
É necessário tomar medidas tendo em vista a redução da velocidade naquela rua. A redução de faixas de rodagem irá trazer sérios prejuízos para os moradores e frequentadores do local.
Não entendemos como se avança com uma obra desta envergadura desarticulada do Plano de Urbanização para a zona e do Plano de Requalificação do Jardim da Luz. Em Setembro, por exemplo, os stands da Feira da Luz serão instalados em cima do traçado da ciclovia que agora se está a construir!
Exigimos que os residentes, a Associação de Moradores local e a Junta de Freguesia de Carnide sejam ouvidos!
Lamentamos que, mais uma vez, o senhor Presidente da CML e o vereador dos espaços verdes e públicos, tenham avançado com uma obra sem ouvirem os moradores e a Junta de Freguesia local!
É uma obra desarticulada com os documentos estratégicos previstos para a zona, nomeadamente com o Plano de Urbanização Carnide/Luz e Plano de requalificação do Jardim da Luz, desarticulado com o funcionamento da Feira da Luz em Setembro, que coloca em causa o acesso à Escola Secundária Vergílio Ferreira e está neste momento a destruir o Jardim do Largo das Pimenteiras.
Lamentamos que se continue a tentar fazer Cidade sem uma verdadeira cultura de participação onde os cidadãos, as suas organizações e as Juntas de Freguesia tenham tempo e espaço para se pronunciar! A Cidade faz-se com as pessoas e não excluindo-as de emitir as suas opiniões e sugestões!»
 
Ver a petição IN www.peticao.com.pt/av-do-colegio-militar
publicado por Sobreda às 00:27
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

Já há caixote e lixo também

Poderá ter demorado uma ‘eternidade’, pois desde há mais de 6 anos que vem sendo reivindicado pelos utentes e moradores do local, mas eis que finalmente ‘nasceu’ um caixote de lixo junto à paragem da carreira 47, em frente ao hipermercado, na Av. das Nações Unidas.

Neste blogue se dizia há quase 3 anos o seguinte:
Eis “o estado de permanente conspurcação do espaço público com todo o tipo de dejectos alimentares junto à paragem da carreira 47 da Carris, na Av. das Nações Unidas, em frente ao hipermercado”. “Trata-se de situações para as quais a CDU tem insistentemente denunciado e proposto soluções, através dos seus eleitos nas Assembleias de Freguesia e Municipal...” 1

 

 

 

Custou, mas foi. Agora só era preciso que o Departamento respectivo da CML (a DHURS) se lembrasse de o esvaziar com alguma frequência.
 
1. Ver, por ex., http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/4650.html
publicado por Sobreda às 00:25
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

Um parque infantil entalado

E eis se não quando, a há vários anos apregoada construção de um equipamento infantil na Quinta de Santo António (vulgo, Parque dos Príncipes) começou a avançar.

 

 

Localiza-se num dos recantos do bairro, mais precisamente a poente da Rua prof. Mário de Albuquerque, numa praceta mesmo ao lado da Clínica Psiquiátrica de São José, bem afastado dos locais mais comuns de atravessamento pedonal, e tem prazo de conclusão previsto para Dezembro deste ano.

 

 

O curioso é que, com tanto espaço livre - e expectante - nas redondezas a merecer ser urgentemente recuperado, logo tivesse que ser programado para um local mesmo em frente – por consequência, tapando-a – a uma das portas das traseiras da Clínica, ficando, de futuro, essa saída ‘entalada’ pelo parque infantil.

 

 

O ‘plano’ é, por isso, de génio. Do tipo daqueles feitos a régua e esquadro nos gabinetes de arquitectura, mas sem conhecer o local de implantação. Como o custo da empreitada ascende a mais de 120 mil euros, pergunta-se: será que vai ter baloiços de ‘príncipe’ banhados a ouro?
publicado por Sobreda às 02:35
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Áreas expectantes continuam a (des)esperar

 

A propósito do recente projecto de construção de um parque infantil para o topo poente da Rua prof. Mário de Albuquerque, e para que não reste dúvidas a quem não conhece o local, eis, a escassos 20 a 30 metros, uma das zonas expectantes, bem mais aberta e não ‘enclausurada’ pelo muro e portão da Clínica Psiquiátrica de São José, entre as inúmeras das redondezas, que bem podia ser melhor utilizada para esse fim.
publicado por Sobreda às 02:23
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 20 de Junho de 2009

Assalto a multibanco com sequestro em Telheiras

A Polícia Judiciária deteve dois homens por fortes suspeitas da autoria de crimes de roubo e sequestro na madrugada de domingo passado em Telheiras, foi apenas ontem revelado.

Em comunicado, a PJ refere que os detidos, de 23 anos, acompanhados de outros dois indivíduos ainda por identificar, entraram num clube privado de lazer, na zona de Telheiras, manietaram e sequestraram o segurança e, durante três horas, arrombaram uma máquina ATM, apoderando-se de mais de 13 mil euros.
A PJ interceptou um dos suspeitos já no Aeroporto de Lisboa, quando se preparava para viajar para o estrangeiro, com bens que adquirira com o produto do crime.
Um dos detidos era funcionário do clube e o outro trabalhara lá anteriormente, tendo-lhes sido apreendidos quatro telemóveis, um computador, um televisor LCD e material informático, presumivelmente comprados com o dinheiro do assalto.
Os detidos encontravam-se em situação irregular em Portugal e serão presentes às autoridades judiciárias para aplicação de medidas de coacção.
 
Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=138944
publicado por Sobreda às 00:27
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 16 de Junho de 2009

Alto da Faia ao abandono

A ‘periférica’ zona do Alto do Faia, a norte de Telheiras, junto ao Eixo Norte-Sul, continua, esquecida pela Junta de Freguesia, sem a adequada manutenção dos equipamentos de uso público.

 

É o caso da Rua prof. Prado Coelho, com bancos partidos, calçada levantada, ausência de mesa e cadeiras para convívio de jovens e adultos, espaço não delimitado para o tradicional jogo da malha.

 

 

 

Porque espera a Junta para investir na melhoria do espaço público? Até quando?
publicado por Sobreda às 00:19
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 5 de Junho de 2009

Recomendação sobre o ‘Parque Urbano Carnide-Telheiras’

No passado dia 26 de Maio, o Grupo Municipal de “Os Verdes” apresentou na Assembleia Municipal de Lisboa, uma Recomendação a propósito do ‘Parque Urbano Carnide-Telheiras’, adjacente ao Lar Maria Droste 1, a qual foi APROVADA com os votos de todos os grupos municipais, com excepção do PS.

A Moção aprovada pela AML recomenda à CML que:
- deve sempre, prioritariamente, acautelar os interesses de Lisboa perante o Estado, bem como proteger a qualidade de vida dos seus moradores;
- rejeitar sugestões de alteração ao PDM que apenas sirvam os interesses financeiros do Governo ou de grupos imobiliários, não salvaguardando o património verde da cidade;
- estude a viabilidade de, em sede de revisão do PDM, integrar os referidos terrenos ‘Maria Droste' num Parque Urbano para usufruto, não só da população de Carnide e de Telheiras, mas de toda a cidade de Lisboa.
No texto “Os Verdes” referem que “a propriedade é uma zona expectante com cerca de 6 hectares, que se estende por uma encosta aberta a sul, localizada a poente de Telheiras, actualmente ocupada com vegetação e uma casa no extremo inferior, próxima de eixos rodoviários como a 2ª Circular e o Eixo Norte-Sul, as Ruas Fernando Namora, Prof. Jorge Campinos e a Travessa da Luz, tratando-se de uma zona já muito densamente povoada, com edificações do segmento médio-alto e alto”.
Alertam “que as pressões do Governo sobre o município, para que este harmonize o PDM às necessidades de encaixe financeiro do Governo, tem em vista permitir uma valorização do terreno, através da alteração do uso do solo, em sede de Plano Director”.
Ora, “no actual PDM, este terreno destinava-se à instalação de equipamentos colectivos e, de acordo com a actual proposta de revisão do PDM, projecta-se que passe a ter um uso de fruição pela população, ou seja, passar a ser uma área verde de recreio e lazer, tão necessária aos moradores daquela zona”.
Donde, “se o PDM for adequado para possibilitar a construção de edifícios com utilização mista (habitação e escritórios), apesar da actual conjuntura, este terreno passará a ser muito apetecível para o sector imobiliário, reduzindo os escassos espaços verdes que servem uma área adjacente com elevado índice de construção” 2.
À CML compete agora, tão só, implementar a deliberação maioritária da AML.
 
1. Ver também http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/266719.html
2. Ver http://pev.am-lisboa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=276&Itemid=36
publicado por Sobreda às 01:54
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 3 de Junho de 2009

Era uma vez uma Nora

Até ao início do ano corrente esta era a vista que se obtinha da Nora, junto à Quinta de Sant’Ana, em Telheiras, um dos marcos patrimoniais do bairro, bem visível à distância.

 

 

Hoje é este o aspecto da nora situada em frente à Igreja de Nª Srª da Porta do Céu. Consegue perceber a diferença?

 

 

A hélice da Nora desapareceu sem deixar rasto. Quem sabe o que lhe terá acontecido? Para quando a reposição do seu tão característico aspecto original?
publicado por Sobreda às 01:44
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 2 de Junho de 2009

Quando a cozinha é um laboratório

 

 

Assista na 4ª fª a mais um debate do Clube Ciência da A.R.T.

publicado por Sobreda às 01:16
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

Iniciativas da CDU em Telheiras

 

 

 

A campanha eleitoral da CDU percorreu, este sábado de manhã, as principais ruas de Telheiras centro e Alto da Faia.
publicado por Sobreda às 01:34
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

Telheiras vai receber a CDU dia 30.06.2009

Visite o sítio da CDU nacional 
 

Sábado, dia 30 de Maio, às 10h30.
 
A CDU vai estar em visita ao bairro de Telheiras, numa iniciativa inserida na campanha para as próximas Eleições Europeias de 07/06/2009.
 
Participam João Saraiva responsável pelo Grupo Municipal do PCP e Sobreda Antunes pelo Grupo Municipal de “Os Verdes”, ambos da Assembleia Municipal de Lisboa.
 
Ponto de encontro: Esplanada da Quinta de S. Vicente, na Rua professor Francisco Gentil.
 
Participa e traz outro amigo também !
publicado por teresa roque às 11:05
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

CDU, por uma vida melhor !

 

O período eleitoral está agora em marcha. Mas a campanha e a propaganda da CDU há muito estão na rua, no país e em Lisboa. Telheiras não é excepção!

Temas: ,
publicado por Sobreda às 00:57
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 26 de Maio de 2009

Menino electrocutado dá nome a rua em Telheiras

Passados 10 anos, a CML decidiu honrar a promessa do ex-presidente do município, João Soares, e homenagear Rúben Cunha, a criança morta ao pressionar um semáforo, em 1997, atribuindo o seu nome a uma rua na zona de Telheiras.

Uma deliberação da CML, que termina com um longo processo quanto à atribuição do topónimo naquela área da cidade, decidiu atribuir o nome de Rúben Tiago Lemos e Cunha a um arruamento vizinho da Rua professor Simões Raposo, na área de Telheiras, mais concretamente na urbanização do Parque dos Príncipes, do lado poente do Eixo Norte-Sul.
A denominação servirá para perpetuar a memória do menino que, em 7 de Julho de 1997, foi electrocutado num semáforo no Campo Grande (em frente a Caleidoscópio), tendo falecido três dias depois no Hospital de Santa Maria, devido ao incidente.
Segundo o actual presidente da CML, a proposta aprovada, sem votos contra, serve para colmatar um hiato de 10 anos sobre a promessa do então líder municipal. “Com esta decisão estamos a honrar o compromisso à data da tragédia, passando Rúben Cunha a ser o nome de uma artéria da cidade de Lisboa”.
Além da cedência de um espaço à Associação Viver Criança - criada pelos pais da vítima (no Alto da Faia, também em Telheiras) - e da oferta de um jazigo, Soares disponibilizou-se, dois anos após a tragédia, a dar o nome do menino a uma rua em Telheiras. Mas as mudanças partidárias no município e interpretações quanto se esta seria a melhor forma de homenagear Rúben, adiaram o processo.
“Tratou-se de uma luta muito difícil fazer com que a Câmara honrasse o que nos tinha prometido. Foram anos de persistência e perseverança. Mas valeu a pena”, explicou emocionado o pai do menino. Para nós, “o Rúben nunca morreu. A partir de hoje está vivo na cidade de Lisboa”.
O acidente ocorreu pelo mau funcionamento do semáforo, tendo um funcionário da empresa de manutenção do equipamento, Eyssa Tesis, sido condenado a dois anos e meio de prisão, com pena suspensa, no julgamento do caso, em Setembro de 2001.
O ‘condenado’ era um ex-pedreiro, com a 4ª classe, e que, sem formação técnica, assegurava a segurança do semáforo. O lamentável é que a empresa tenha saído incólume neste processo.
 
Ver http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior&content_id=1238808
publicado por Sobreda às 00:18
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 22 de Maio de 2009

Novo loteamento ‘Alto da Faia IV’

O loteamento do Alto da Faia IV, que já tem luz verde da parte da CML, é composto por um lote habitacional destinado ao Programa EPUL Jovem e vem completar a intervenção urbanística de media escala em Telheiras, por parte da empresa, que permite a ligação com a área de intervenção do Paço do Lumiar.

O projecto do futuro edifício residencial está inserido numa área de intervenção classificada no PDM como Área de Estruturação Urbanística Habitacional.
O loteamento compreende um total de 32 apartamentos, distribuídos por 2 blocos, com tipologias T1 a T3, 6 lojas e 44 lugares de estacionamento em cave, representando uma área bruta de construção na ordem dos 5.600 m2.
 
Ver www.vidaimobiliaria.com/noticias.asp?codigo=3545
publicado por Sobreda às 00:14
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

‘Guarda-sol Amarelo’ numa aldeia dentro da cidade

«Como podemos pensar a comunidade de hoje em dia numa cidade cada vez mais impessoal, invadida e abandonada todos os dias? O grupo Teatroàparte, de forma arrojada e criativa, propõe-nos, através de um exercício pessoal e colectivo, uma reflexão sobre esta temática com o seu mais recente projecto, ‘Guarda-sol Amarelo’.

A peça está em cena e prolonga-se nos dois próximos fins de semana na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, demonstrando uma vez mais o porquê deste grupo de teatro ser um objecto atípico nos dias que correm.
“Recordo com um sorriso doce e nostálgico o que era ser criança em Telheiras. Essa Telheiras que já apenas suspira por baixo de prédios ricos e de uma azáfama constante.” É com esta recordação de um tempo que deixou de o ser mas que, ao mesmo tempo, evoluiu para um conceito de comunidade de século XXI, que somos invadidos ao ver ‘Guarda-Sol Amarelo’, peça do grupo de teatro Teatroàparte, que nasceu e vive dentro de Lisboa, em Telheiras.
Telheiras é um sem dúvida um caso especial não só pelas características de ‘aldeia’ dentro de uma cidade cosmopolita que mantém, mas também pela mobilização que os seus habitantes, devido à sua cultura, idade e predisposição mantém em relação a outras ‘aldeias’ dentro da cidade onde habitam de pessoas de idade já bastante avançada.
Através desta vontade surgiu o profícuo grupo de teatro Teatroàparte, que conta já com 12 anos de idade e com uma miríade de trabalho que atinge o clímax com a sua nova peça de Teatro: ‘Guarda-Sol Amarelo’.

 

 

Esta peça não é inocente e era, de certa forma, inevitável, tendo estado apenas a marinar de forma lenta para explodir com a dose certa de criatividade. Para quem segue o trabalho activo deste grupo de pessoas, cujo conjunto advém dos inputs de cada um, sabe que não é fácil gerir um grupo tão heterogéneo com idades e backgrounds tão diversificados. Saber aproveitar esta massa criativa e orientá-la para um resultado desta índole não é certamente pêra doce. Contudo podemos afirmar com segurança que se atingiu esse objectivo de forma clara e de certa forma brilhante.
Com esta peça foi posta em prática um tipo de exercício que nem sempre consegue ser bem sucedido. Colocou-se a nu o mapa emotivo dos actores com interpretações e textos escritos por si próprios. “A primeira ideia foi uma espécie de Conferência, teatro documental e show num espectáculo. Começámos a trabalhar a partir da Telheiras espacialmente, das idades e também a partir dos mapas emotivos das pessoas e um retrato da cidade sempre tendo Telheiras como referência, mas sempre com uma ideia de universalidade”.
Esta ideia de universalidade ganha uma nova dimensão a partir da forma como os actores expõem parte das suas vidas, sem que com isso seja gratuito ou sensacionalista o que curiosamente cria uma sensação de partilha verdadeiramente gratificante, tornando esta experiência mais rica e indo ao âmago do que uma experiência cultural deve ter. Além deste contacto mais pessoal com os actores, a peça acaba por ser também “histórias de 35 anos de democracia portuguesa e do contacto intra-geracional com o que existiu pelo meio”.
O mito que dá nome à peça veio segundo a explicação de um dos seus membros como uma metáfora para uma mobilização pessoal: “Há um guarda-sol amarelo na mitologia da Associação de Residentes de Telheiras, entretanto, tornado seu símbolo gráfico. Mas o mito do guarda-sol amarelo, difundido na pequena brochura, é também uma realidade materializada. Sempre que alguma coisa está para acontecer, há uma campanha em curso, ou se torna urgente gerar mobilização, os chapéus abrem-se nas esquinas de maior movimento”.
Se certamente as pessoas vão discutir a relevância e ligação com o conjunto de algumas das interpretações, não vão certamente sentir-se defraudadas do conjunto e da ideia final que resulta.
O cenário, que é composto por uma maquete da ‘cidade’ de Telheiras, que acaba por servir os actores das mais diversas formas, “está muito relacionado com o projecto e com isso surgiu a maquete que seria a base que foi construída com materiais reunidos por toda a gente”.
Outro dos elementos que se utilizou de forma mais presente pela primeira vez numa peça do grupo foi uma câmara. Esta experiência veio enriquecer o trabalho, pois “a multimédia acabou por complementar a cenografia o que fez com que a maqueta ganhasse vida pelas brincadeiras que fizemos com a escala”.
O rumo sócio-cultural que Portugal segue nos dias de hoje está na ordem do dia, e cada vez mais se reflecte acerca do conceito de comunidade, ou da falta dela. O Teatroàparte veio, uma vez mais, e desta vez de forma explícita, reforçar que ainda existe em Lisboa esse sentimento, com uma memória colectiva muito portuguesa destes 35 anos de democracia portuguesa, independentemente dos interesses particulares».
 
Ler ‘Guarda-sol Amarelo’ por Tiago Gil Batista IN www.semanario.pt/noticia.php?ID=4794
Ver também http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/470068.html
publicado por Sobreda às 01:05
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Excessos de rivalidade entre as claques da 2ª circular

O conteúdo de uma pen-drive apreendida a um elemento do 'No Name Boys' (NNB) foi apenas um indício para o Ministério Público avançar para a acusação de associação criminosa.

Dentro do dispositivo encontravam-se informações detalhadas sobre elementos da rival Juve Leo: fotografias dos dirigentes, acompanhadas por notas sobre "namoradas, cônjuges e restantes familiares". A recolha de informação fazia parte da forma de actuação dos NNB. Os 38 elementos ligados a esta claque foram acusados pelo DIAP de Lisboa de crimes de associação criminosa e tráfico de estupefacientes.
A acusação é feita após um grupo de 30 suspeitos ter sido detido em Novembro de 2008, na operação 'Fair Play' realizada pela PSP de Lisboa. Nas buscas domiciliárias, a polícia apreendeu droga, armas e material pirotécnico.
Terá sido a metódica recolha de informação que levou elementos do NNB ao encalço de um adepto do Sporting e membro do grupo ‘1143’ que integra a Juventude Leonina. Em Fevereiro de 2008, quatro elementos do NNB, abordaram o rival junto à casa deste.
O jovem ainda tentou fugir para uma esquadra da PSP em Telheiras. Porém foi alcançado pelo grupo. Um dos agressores, segundo a acusação, "desferiu diversos golpes no corpo do ofendido com uma faca que trazia consigo". Os restantes, “utilizando tochas incendiárias queimaram o corpo do ofendido, nomeadamente na anca esquerda e no abdómen, ao mesmo tempo que, utilizando um taco, desferiram com ele pancadas no corpo daquele, atingindo-o em várias zonas letais, nomeadamente na cabeça”.
Este é apenas um caso relatado no despacho de acusação do DIAP de Lisboa neste caso, o qual resultou na junção de vários processos dispersos por diferentes comarcas. Um destes veio da comarca do Seixal e diz respeito à agressão e destruição do carro de um jornalista no centro de estágio dos ‘encarnados’. O episódio ocorreu em Abril de 2008 e o envolvimento dos NNB foi ‘apanhado’ em escutas telefónicas.
No dia da agressão, em deles telefonou ao outro (ambos acusados no processo), contando que um grupo esteve no Seixal onde “partiram a boca toda a um” jornalista.
Os membros da claque partiram ainda o vidro do carro do jornalista, e tentaram introduzir no interior da viatura uma tocha incendiária que poderia ter destruído por completo o carro. “Partimos o carro todo do jornalista, (…) mandei uma tocha para dentro do carro, só não incendiou porque saiu fora”, disse numa escuta que está transcrita na acusação.
Os líderes da claque são ainda suspeito de revenderem ilegalmente bilhetes para os jogos do Benfica. Os ingressos seriam cedidos à claque a um preço reduzido, mas depois eram colocados mais caros no mercado. O DIAP de Lisboa sustenta que o lucro obtido era ‘investido’ depois no negócio da droga.
 
Ver http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1236871
publicado por Sobreda às 00:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Teatroàparte apresenta ‘Guarda-sol amarelo’

 

Mês de Maio é o mês do teatroàparte passar pelo palco. E cá estão eles a partir de hoje mais uma vez.!

O teatroàparte vai levar a cena mais uma peça: “Guarda-sol amarelo” (será que este nome não vos diz nada?). É uma criação colectiva (a terceira em 12 anos), uma meditação sobre a cidade feita por 30 cabeças, 60 mãos, algumas miniaturas, umas maquetes. É sobre estarmos aqui. E é uma espécie de construção em andares da nossa história recente (os 35 anos desta democracia) feita em cima dos mapas emotivos das ruas por onde andamos.

Como vem sendo hábito desde 2004, o espectáculo terá lugar no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Telheiras. As datas são as seguintes:
- sexta-feira, 15 de Maio, 22h
- sábado, 16 de Maio, 22h
- sexta-feira, 22 de Maio, 22h
- sábado, 23 de Maio, 16h e 22h
- sexta-feira, 29 de Maio, 22h
- sábado, 30 de Maio, 22h
Os bilhetes (ao preço de 5,00 euros - o teatroàparte continua sem inflação!) podem ser reservados pelo 965 577 545 (e têm que ser levantados até meia-hora antes do início do espectáculo - por favor, respeitem este ponto).
Como se sabe, os espectáculos têm esgotado a maioria das sessões, pelo que não demorem a decidir-se (até porque desta vez só há sete sessões em vez das nove da passada peça).
Para o grupo teatral, toda a divulgação do espectáculo será muito bem vinda !
publicado por Sobreda às 00:16
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

Alterações climáticas no Clube de Ciência

 

O Clube de Ciência da Associação de Residentes de Telheiras promove na próxima 5ª fª, dia 7 de Maio, pelas 21h30, nova palestra do Clube de Ciência intitulada ‘Alterações climáticas: realidade ou mistificação?’, a realizar na sede da ART.
A palestra será conduzida pelo meteorologista e climatologista Henrique Oliveira Pires. Conta-se com a participação de todos aqueles que puderem estar presentes!
Temas: ,
publicado por Sobreda às 00:54
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 29 de Abril de 2009

Escola de Telheiras vai para obras

O Governo assinou um conjunto de acordos com autarquias com vista à requalificação do parque escolar dos 2º e 3º ciclos do ensino básico, que abrange a requalificação de 50 escolas básicas, cujas instalações foram identificadas como sendo as mais degradadas em todo o país, representando um investimento total na ordem dos 175 milhões de euros.

Na Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo, mais concretamente em Lisboa, apenas está prevista a substituição das actuais instalações da Escola Básica dos 1º, 2º e 3º ciclos de São Vicente de Telheiras.
 
Ver www.min-edu.pt/np3/3404.html
publicado por Sobreda às 01:46
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 23 de Abril de 2009

Petição sobre os terrenos do Lar Maria Droste

Por ter sido recebida com pedido de divulgação, transcreve-se a seguinte petição.

«Caros vizinhos e concidadãos, foi com enorme preocupação que li a notícia da página 24 do Expresso do passado dia 4/Abril/2009.
O Estado Português, que deveria cuidar do bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos, está a pressionar a CML para alterar o PDM, de forma a que o terreno junto ao Lar Maria Droste, frente às Torres de Lisboa e à 2ª Circular, adquira capacidade construtiva.
É do conhecimento público que, nos últimos anos, este terreno foi à praça por várias vezes, mas a licitação ficou sempre deserta porque o valor base de €45 milhões era totalmente desajustado em função das possibilidades de construção.
Porém, se o PDM for alterado para possibilitar a construção de edifícios com utilização mista (habitação e escritórios), apesar da crise e da actual conjuntura, este terreno com cerca de 6 hectares, passará a ser muito apetecível para o sector imobiliário.
No actual PDM, este terreno destina-se instalação de equipamentos colectivos que já não serão construídos, pois tratava-se das sedes da RTP e RDP, que entretanto passaram para a antiga sede da Parque-Expo na Av. Marechal Gomes da Costa.
De acordo com a actual proposta de revisão do PDM, este terreno estaria destinado à fruição pela população, ou seja, área verde de recreio e lazer, mas segundo a referida notícia do Expresso, o Governo, pela mão do Secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, está a pressionar a CML para que esta proposta de alteração não seja aprovada.
Para que este terreno se transforme num espaço verde e de lazer para usufruto não só da população de Carnide e Telheiras, mas de toda a Cidade de Lisboa, proponho a constituição de uma associação para a construção do Parque de Carnide-Telheiras.
É um acto de cidadania e dever cívico impedirmos que este espaço público, portanto de todos nós, se transforme numa selva de betão» 1.
 
Recorde-se que a CDULumiar foi previamente consultada pelo jornalista em causa, nas vésperas da publicação do referido artigo, por estar “a preparar um trabalho sobre imóveis do Estado em Lisboa para venda. Vi no vosso site um post de 11 de Junho de 2008 sobre dois terrenos junto à segunda circular… e a informação que estava no site da Estamo foi apagada...” 2.
A situação dera também origem, já no ano passado, em Junho e Julho de 2008, a uma interpelação do Grupo Municipal de “Os Verdes” ao executivo camarário, seguida de requerimento à CML 3.
 
1. Ver www.peticao.com.pt/parque-carnide-telheiras
2. Ver o artigo ‘Terrenos anexos ao Lar Maria Droste à venda’ a que o jornalista se refere IN http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/266719.html
3. Ver http://pev.am-lisboa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=178&Itemid=33 e http://pev.am-lisboa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=196&Itemid=32
publicado por Sobreda às 02:40
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

Palestra sobre Ciência na ART

O Clube de Ciência da Associação de Residentes de Telheiras convida todos os moradores do bairro, interessados e amigos, para mais uma palestra do Clube de Ciência, que se realizará hoje, 4ª fª, dia 15, a partir das 21h30, na sede da ART (sita na Rua Prof. Mário Chicó).

 

A palestra, que versará o tema “Ciência e trabalho científico : aspectos gerais e situação portuguesa”, será apresentada pelo doutor em Física Frederico Gama Carvalho, Investigador-Coordenador do Instituto Tecnológico e Nuclear (aposentado).

 

publicado por Sobreda às 01:13
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

O regresso do Conselho Municipal de Segurança

A Polícia Municipal de Lisboa (PML) deverá receber até Setembro mais 150 agentes da PSP, de acordo com a proposta do MAI, no âmbito da descentralização de competências na área da fiscalização de trânsito. A proposta será analisada hoje na reunião do Conselho Municipal de Segurança, onde serão discutidas as sugestões da CML e do Ministério para o Contrato Local de Segurança (CLS).

No que se refere à transferência da dependência dos parques de recolhas de viaturas para a PML, o Ministério refere que a PSP não pode abdicar de manter na sua dependência e administração o parque do Restelo, sugerindo que passe para a PML a guarda, utilização e gestão dos parques de viaturas do Marquês de Pombal, Campo Grande e Telheiras.
Quanto ao acesso ao Sistema de Contra-Ordenações de Trânsito (SCOT), a câmara é autorizada a utilizar o sistema, mas terá que suportar os custos associados à aquisição de equipamentos, à formação dos operadores, manutenção e comunicações.
As principais áreas de intervenção da proposta do MAI para o CLS são os comportamentos anti-sociais como a delinquência juvenil, a violência doméstica e o risco de incidentes sobre populações vulneráveis, designadamente idosos e turistas.
Reduzir os índices de criminalidade na cidade de Lisboa, aumentar o sentimento de segurança e os níveis de confiança e satisfação dos que visitam a cidade, reforçar o policiamento de proximidade e as acções policiais nalguns locais considerados mais inseguros são alguns dos objectivos das propostas de CLS do MAI e da autarquia que serão analisadas na reunião do Conselho Municipal de Segurança.
Além de assegurar a transferência dos meios humanos necessários ao projecto, o MAI deverá garantir a monitorização do CLS, através de um protocolo a assinar com uma Universidade, e elaborar diagnósticos da criminalidade na área abrangida pelo CLS.
Os contratos locais de segurança têm vindo a ser desenvolvidos pelo MAI e alguns estão já em fase de concretização, como os do Porto e Loures. No caso do Porto, o CLS abrange o Bairro do Cerco e em Loures as freguesias da Apelação, Camarate e Sacavém. Vai também ser proposta a criação de um Observatório da Segurança, o reforço da Polícia Municipal e a libertação dos agentes daquele força de segurança de actividades administrativas.
O Conselho Municipal de Segurança de Lisboa, que não reunia desde Março de 2006, tem funções de natureza consultiva e visa promover a articulação, a troca de informações e a cooperação entre entidades que, na área do Município, têm intervenção na área da segurança das populações 1.
Por isso o Grupo Municipal de “Os Verdes” apresentou, na sessão de AML de 16 de Setembro de 2008, uma Recomendação propondo a urgente entrada em funcionamento deste órgão, a qual seria aprovada por Unanimidade 2.
 
1. Ver http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1374273
2. Ver http://pev.am-lisboa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=212&Itemid=36
publicado por Sobreda às 01:03
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 7 de Março de 2009

Toponímia para jovem que morreu electrocutado

A Comissão de Toponímia decidiu que a Rua B, paralela à Rua Professor Vieira de Almeida, em Telheiras, vai ter o nome do jovem que morreu electrocutado num semáforo de Lisboa em 1997.

Na sequência da reunião realizada na CML, ficou decidida a rua escolhida para homenagear Ruben Cunha, uma rua próxima do colégio onde o jovem estudava com o irmão gémeo e entretanto denominada de Rua António Livramento.
O presidente da Comissão responsável pela toponímia de Lisboa, disse que “o assunto vai ser levado à CML, na reunião agendada para 18 de Março”.
Esta iniciativa surge depois do pai do jovem Ruben, ter questionado, em Fevereiro, o executivo camarário sobre esta proposta em 2001 mas nunca concretizada. Durante essa reunião camarária, afirmou que a Câmara não respeitava os sentimentos da família e ignorava que a comissão aprovou a iniciativa há cerca de oito anos.
Este caso remonta a Julho de 1997, quando Ruben Tiago Cunha, de 14 anos, foi electrocutado ao premir o botão que acciona o sinal verde para os peões de um semáforo do Campo Grande e que morreu três dias depois devido a lesões cerebrais graves e paragem cardio-respiratória.
A partir de uma acção que moveram em tribunal, os pais do jovem viram reconhecida a culpabilidade da autarquia e da empresa responsável pela manutenção dos semáforos, recebendo uma indemnização de mais de 200 mil euros, que usaram para montar uma galeria de arte em memória do filho.
Ao fim de 12 anos, o jovem está agora a um passo de ser novamente homenageado, uma vez que já existe uma associação que apoia crianças vítimas de acidentes que tem o seu nome.
 
Ver www.destak.pt/artigos.php?art=23443
publicado por Sobreda às 02:02
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Telheiras, um bairro em mudança

A Associação de Residentes de Telheiras completou 20 anos em 2008. Durante as primeiras 2 décadas de vida da Associação, Telheiras foi um bairro em construção e a ART teve um papel relevante na discussão das questões ligadas ao urbanismo do bairro.
Hoje, Telheiras é um bairro em fase de consolidação e os problemas são outros: a população envelheceu, os adolescentes ocuparam o lugar das crianças, sobram algumas zonas expectantes e espaços verdes por concluir, o bairro é atravessado por trânsito de passagem, começam a surgir problemas de segurança.
Vivem-se actualmente tempos de crise e as organizações locais irão ter, no futuro, uma importância acrescida.
Com este encontro pretende-se:
* Pensar a ART, reflectir sobre a sua missão nos tempos que correm;
* Preparar a ART para os próximos 20 anos;
* Promover um maior e melhor relacionamento dos sócios com a ART.
Assim, sábado, dia 7 de Março, venha ao Centro Comunitário de Telheiras (em frente à ART) e participe. A sua opinião conta para melhorar a qualidade de vida no bairro!
Tragam todos os associados empenhados na problemática do bairro, porque vai valer a pena.
 
Ver www.artelheiras.pt/pages/index.php
publicado por Sobreda às 01:05
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

Escolas de Telheiras

Foi aprovada por Unanimidade, na reunião da CML de 4ª fª passada, a Proposta nº 197/2009 que indica uma transferência de verba no valor €1.044,00 para o Agrupamento de Escolas de Telheiras.

Não é indicado, no entanto, qual o destino concreto desta pequena ‘fortuna’.
publicado por Sobreda às 01:31
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Telheiras e Ameixoeira de novo às escuras

Cerca de 2.500 clientes da EDP, abastecidos através da sub-estação de Telheiras, estiveram esta noite sem electricidade, devido a uma avaria de causas ainda desconhecidas.

De acordo com um assessor da EDP Distribuição, a ausência de electricidade deveu-se a um disparo na sub-estação de Telheiras, que abastecia também a zona da Ameixoeira 1.
Talvez devido também ao aumento substancial de residentes nesta zona norte da capital, a situação tem, no entanto, sido recorrente. Será que não necessitará já aquela sub-estação de um reforço técnico operacional?
 
1. Ver http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1075434
publicado por Sobreda às 08:41
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

Eco-ilhas em Carnide versus sistema de recolha em Telheiras

O núcleo histórico de Carnide disponibiliza desde ontem seis novas ‘eco-ilhas’, ou seja, contentores de 1.100 litros de capacidade, destinados à deposição de resíduos urbanos (RU). Os contentores têm tampas de cores diferentes: cinzenta para os indiferenciados, azul para o papel e cartão, amarela para as embalagens e verde clara para o vidro 1.

Este tipo de equipamento já existe em áreas próximas do Núcleo Histórico, como sendo o Bairro Novo de Carnide, o Bairro da EPUL, a Quinta do Bom Nome e numa área central da Quinta da Luz.
Esta alteração no sistema de deposição de RU, para além de proporcionar um aumento dos quantitativos de resíduos a valorizar, vai de encontro à vontade dos munícipes, manifestada pela Junta de Freguesia de Carnide e pelo Grupo Comunitário de Carnide Centro, entre outros representantes dos moradores.
Neste sentido, a área-alvo de intervenção é a servida actualmente por sacos, representando 190 habitações e 29 actividades económicas. A recolha manter-se-á em horário diurno, a partir das 6 horas da manhã 2.
O sistema de recolha de lixo tem estado periodicamente a ser alterado pelo município, com variantes consoante as características dos bairros da capital 3.
Note-se, por exemplo, que não foi esta a metodologia escolhida pela CML para o vizinho bairro de Telheiras, cuja opção foi programar um polémico porta-a-porta, com o regresso à colocação dos caixotes nas ruas a partir do fim da tarde e até à sua recolha apenas após a meia-noite.
Recorde-se que há década e meia atrás, a A.R.T., para evitar estas situações, tinha conseguido acordar com a CML um sistema de recolha bem mais higiénico, com menos lixo espalhado no espaço público e menos odores.
É que a maioria das habitações em Telheiras dispõem de ‘casa do lixo’ com porta para o exterior. Na altura, a direcção da A.R.T. conseguira, em conjunto com alguns condomínios, que todas essas ‘casas’ tivessem uma chave comum que os trabalhadores da DHURS da CML usavam para retirar os contentores domésticos apenas quando vinham proceder à respectiva recolha de lixo.
Ou seja, deixara de haver aglomeração de lixo no espaço público, logo de odores ‘suplementares’, durante horas seguidas. Hoje, a recolha de lixo em Telheiras passou a constituir um retrocesso ambiental. Uma medida que “ameaça tornar-se num fiasco” 4, como se pôde constatar no período natalício.
 
1. Ver Metro 2009-01-12, p. 3
2. Ver http://lisboalimpa.cm-lisboa.pt/index.php?id=525&tx_ttnews%5Bpointer%5D=1&tx_ttnews%5Btt_news%5D=2340&tx_ttnews%5BbackPid%5D=516&cHash=ffa472b122
3. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/21158.html
4. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/362554.html
publicado por Sobreda às 02:16
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Candeeiros na Quinta de Santo António

Há quase um ano, na reunião descentralizada da CML, várias foram as queixas apontadas pelos munícipes de falta de segurança, entre elas, a ausência de iluminação no Parque dos Príncipes, em Telheiras 1.

Meses depois, voltara-se a alertar, neste blogue, para o facto de, na urbanização da Alameda de Stº António e vias circundantes - vulgo Parque dos Príncipes - como por exemplo nas Rua Frei São Bento Menni ou Rua professor Simões Raposo, a iluminação continuar inexistente 2.
Ora, ainda no ano passado, o município, em lugar de instalar prioritariamente candeeiros onde eles não existiam, optou pela substituição dos existentes por uma iluminação de proximidade.
É o caso das Rua professor Carlos Teixeira ou da Rua professor Mário de Albuquerque, esquecendo-se, no entanto de dois pormenores: fiscalizar a obra e recolher as tubagens entretanto retiradas.

 

 

 

Por este motivo, as anteriores versões da iluminação vertical encontram-se, desde há um par de meses, empilhadas e abandonadas em zonas expectantes, entre os prédios. Para além desse facto, o assentamento dos novos candeeiros não parece ter sido correctamente feito, pois, no caso reportado, o solo já abateu. Poderá o poste vir a cair em cima de algum transeunte ou das viaturas ali estacionadas junto ao passeio?
 
1. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/224273.html
2. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/336212.html
publicado por Sobreda às 00:59
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 11 de Janeiro de 2009

Quem descasa também quer casa

Argumentando “ruptura familiar” e em defesa da manutenção de um certo “padrão de vida” foram os fundamentos que justificaram, em 1991, a atribuição de uma casa municipal à actual chefe de gabinete do vice-presidente da CML.

Agora, após 17 anos de ocupação, a dirigente municipal devolveu, em Dezembro, a chave do T1 que habitava no Alto da Faia, em Telheiras. A actual membro do staff do vice-presidente diz que entregou a chave do apartamento “no mês passado”, facto confirmado pela autarquia.
A ex-presidente da Gebalis e chefe de divisão da autarquia, remeteu, nesta qualidade, uma solicitação de atribuição de um fogo ao então vereador Vasco Franco (PS) que na altura liderava o pelouro da Habitação.
O pedido foi sustentado com o facto de se “encontrar em situação grave de ruptura familiar sem qualquer possibilidade de recuperação”, segundo se pode ler no Proc. nº 31/22442/2111.
A solicitação seria deferida pelo vereador um mês depois, com a justificação de se tratar de “uma funcionária que exerce funções dirigentes que exigem uma dedicação exclusiva e um padrão de vida que o rendimento que aufere dificilmente permitiria manter, designadamente se tiver de procurar habitação no mercado”. A renda acabaria por ser fixada em 175 euros.
 
Ver www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=26B6F61A-4335-46AC-ACCE-20B25668D935&channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181
publicado por Sobreda às 01:11
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 10 de Janeiro de 2009

Hoje em Telheiras há pessoas em cuecas (amanhã não sabemos)

 

Andar sem calças no Metropolitano de Lisboa é o objectivo de uma acção ‘flash mob’ marcada para hoje à tarde, com início na estação de Telheiras. Os ‘flash mobs’ são iniciativas onde grupos de pessoas realizam uma acção previamente combinada num local público, convocando toda a gente pela Internet e por SMS.
Quando o comediante Charlie Todd promoveu o primeiro ‘No pants!’ no metro de Nova Iorque, em 2002, foi só ele e meia dúzia de amigos a viajarem em cuecas. No ano passado, o evento realizou-se em várias cidades do mundo. Só em Nova Iorque houve 900 pessoas a andar de metro sem nada entre as camisolas e os sapatos, além da roupa interior.
Como em outros ‘flash mobs’ há um código de conduta a seguir. Uma das regras mais importantes é manter a compostura e aparentar normalidade. Quando outros passageiros lhes perguntavam o que se estava a passar, o grupo de Charlie Todd respondia ‘Bolas, nem reparei que não vesti as calças’ ou então ‘Imagino que toda a gente esteja encalorada’, o que, no caso de hoje e com esta vaga de frio, seja mais difícil de explicar.
Risinhos e olhares cúmplices são vivamente desaconselhados. O grupo que organiza o Sem Calças em Portugal, o ImprovLisboa deixa algumas ‘dicas’ de comportamento 1, mas o objectivo é os passageiros verem que são pessoas normais, apenas sem calças.
“Se quiseres traz também alguma coisa que costumes usar para passar o tempo no metro: um livro, um jornal, uns auscultadores, etc.” Nada de fios dentais, boxers transparentes ou outra roupa mais ousada: a finalidade não é atentar ao pudor alheio, mas sim “causar situações de caos e alegria no dia cinzento dos habitantes de Lisboa”. Mas também não vale aparecer de collants nem de calções.
Um dos últimos happenings do ImprovLisboa foi uma batalha de almofadas que juntou duas centenas de pessoas na Alameda Afonso Henriques, jovens na sua maioria.

 

Para aderir à acção de hoje basta comparecer às 15h nos Jardins de Telheiras, ao lado da estação do Metropolitano. E por baixo, nada de agasalhos.
 
1. Ver http://jornal.publico.clix.pt/default.asp?url=%2Fmain%2Easp%3Fdt%3D20090109%26page%3D20%26c%3DA
2. Ver http://improvlisboa.blogspot.com
Temas:
publicado por Sobreda às 01:14
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009

Novo ‘parque de estacionamento’ gratuito em Telheiras

Se existem bairros onde os pilaretes constituem uma inútil protecção dos cidadãos e um mero empecilho para os invasores do espaço público, Telheiras consegue, lamentavelmente, apresentar uma elevada taxa com inúmeros exemplos destes despropositados abusos 1.

Desta vez a ‘novidade’ situa-se junto aos recém-inaugurados (há exactamente dois meses) jardins Caldeira Cabral e Sousa Franco 2, no meio dos quais se situa uma nova unidade de restauração, rodeada pelas duas entradas do Metro de Telheiras.

Aquando as referidas inaugurações, foi colocada sinalização vertical de ‘trânsito proibido’, de ambos os lados da Estrada de Telheiras e da Rua prof. Francisco Gentil, negando o acesso a veículos nos acessos aqueles espaços ajardinados.

 

 

 

Considerando a ‘inoportunidade’ dessa sinalização, para um fácil acesso motorizado de proximidade à área de café e restaurante, alguém (utentes, clientes, funcionários do espaço comercial?!) não foi de meias-medidas: ‘se está a mais, bota-a-baixo’. E, num par de meses, logo se encontrou a solução ‘zero’: zero sinais de trânsito, zero pilaretes, zero segurança, mas…, muita acessibilidade automóvel.
Antevendo a habitual impunidade - leia-se ‘zero’ de fiscalização camarária ou de policiamento -, 'alguém' partiu os pilaretes suficientes para uma viatura ali passar a ter acesso e, não contentes com isso, rasgaram pela base e derrubaram o sinal de ‘trânsito proibido’.
Sendo, precisamente, um local de confluência das saídas pedonais do Metro, tal façanha aumentou a insegurança na circulação dos peões no passeio de ligação entre a paragem da Carris e a entrada do Metropolitano.

 

 

 

Na antevéspera do Ano Novo, esse ‘alguém’ começou por procurar disfarçar o derrubado sinal entre a vegetação. Mas, este fim-de-semana, o sinal havia já recuado uma vintena de metros, para cima de um coto de árvore, do outro lado da paragem de autocarros da Carris.

O resultado é óbvio: estacionamento grátis!
Aliás, à noite, horário de maior afluência do bar-snack-restaurante, contam-se, no mínimo, 10 carros ali estacionados. Para os moradores do local, é incompreensível que quem vai ali pagar uns ‘copos’ não tenha uns trocos para parquear no estacionamento subterrâneo da Praça Central de Telheiras.
Imagine-se, a partir de agora, o quanto não deverá crescer o trânsito nesse local quando, em dias de futebol, novos condutores descobrirem esse 'parque' gratuito. Ou quem for tomar o Metro e quiser levar o seu ‘carrinho’ para bem perto das escadas do Metropolitano.
Saberão a CML e a Junta de Freguesia agir, com urgência, em conformidade, repondo a legalidade?
 
1. Ver diversos exemplos em http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/177934.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/131230.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/113565.html ou http://carmoeatrindade.blogspot.com/2007/12/pilaretes.html
2. Ver http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/330071.html e http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/351252.html
publicado por Sobreda às 00:50
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 4 de Janeiro de 2009

Serviço ‘Mob Carsharing’

O ‘Mob Carsharing’, um serviço da Carris de aluguer de viaturas por curtos períodos de tempo, conta com setenta contratos assinados, quando se perfazem três meses desde o início do serviço, sendo, segundo a Carris e Carristur, um serviço que permite aos utilizadores pouparem até 4.000 euros por ano caso percorram menos de 15.000 quilómetros.

A actual frota totaliza 15 viaturas, apesar de apenas 10 estarem disponíveis nos seis parques que estão a funcionar em Lisboa, no Cais do Sodré (uma viatura), Rua Alexandre Herculano (duas), Parque das Nações (duas), Campo de Ourique (uma), Saldanha (duas) e Campo Pequeno (duas).
A empresa conta activar mais seis parques de estacionamento até final do próximo mês de Janeiro: um em Alcântara (Santo Amaro), Miraflores (Linda-a-Velha), Olivais (junto ao Instituto Superior de Engenharia de Lisboa), Estrada da Luz (junto às Torres de Lisboa), Avenida de Roma e Alto de Campolide-Amoreiras.
A ligação entre os transportes públicos e o ‘Mob Carsharing’ é feita através do cartão Lisboa Viva, através do qual os utilizadores do serviço desbloqueiam as viaturas estacionadas nos parques.
O acesso é feito mediante o pagamento de 55 euros de inscrição e a reserva dos veículos pode ser efectuada 24 horas por dia através da Internet ou por telefone. O custo do serviço de ‘Mob Carsharing’ é calculado em função do tempo (em horas) e dos quilómetros percorridos, implicando ainda o pagamento de uma anuidade de 84 euros da qual a empresa isenta os utilizadores até que atinjam os 200 contratos.
Durante o primeiro trimestre de 2009, a empresa conta pôr a funcionar mais sete parques de estacionamento para o Mob Carsharing no Bairro Alto, Lumiar, Olivais, Pateo Bagatella, Príncipe Real, Santos e Telheiras, concluiu.
 
Ver Lusa doc. nº 9155484, 30/12/2008 - 10:29
publicado por Sobreda às 00:09
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009

Trancas à porta

De tal modo aumentaram as encomendas de fechaduras com tranca e de portas blindadas, que “chegámos a atender cerca de 100 pessoas por dia”, revela o lojista da Casa das Chaves de Telheiras, situada num dos hipermercados da zona.

O acréscimo na procura de fechaduras para portas nas casas de chaves, que em alguns casos chega aos 50%, é justificado pelos lojistas com o aumento dos assaltos e do sentimento de insegurança no bairro, mas também porque, “nestas alturas festivas, as pessoas querem ir passar as suas férias descansadas e nos dias de hoje mais vale prevenir do que remediar”
A situação tem-se repetido noutras lojas do género, como a Casa de Chaves Arco-íris, ou a das Chaves do Areeiro, pois “a onda de assaltos têm aumentado a insegurança dos lisboetas”. “Todos os anos nesta altura é a mesma coisa. As pessoas vão passar o Natal e o Ano Novo fora e antes disso vêm cá comprar fechaduras”.
Mas, este mês, houve um acréscimo da onda de assaltos, facilitada por moradores que saíram de casa deixando apenas a porta no trinco. E quando se facilita, o amigo do alheio aproveita o ensejo.
Segundo dados da PSP, este ano só no dia de Natal foram assaltadas duas dezenas de casas na área metropolitana de Lisboa sem recurso a arrombamento e por descuido dos moradores. Para algumas pessoas, agora já se vai tarde para ‘trancas à porta’.
 
Ver www.oje.pt/noticia.aspx?channelid=827CB671-D324-4A83-A1C8-D559CF5AC090&contentid=0A50D879-4406-48CA-B632-C9A286F3AE5D
publicado por Sobreda às 00:32
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008

Festa de Natal da ART

 

A ART realiza a sua Festa de Natal na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, no dia 13 de Dezembro, sábado, a partir das 17 horas, com entrada livre.
Participação do Coro ART, Grupo de Ballet, Grupo de Guitarras, Danças Escocesas.
Não falte!
publicado por Sobreda às 02:30
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Nova farmácia em Telheiras

 

Abre hoje, 2ª fª, dia 24 de Novembro uma nova farmácia em Telheiras, mais concretamente na Quinta de Santo António, vulgo Parque dos Príncipes (e bem falta fazia…).
Este estabelecimento fica localizado na Rua Professor Simões Raposo, nº 1B - 1C, a escassas dezenas de metros do cruzamento semaforizado da Rua Fernando Namora.
publicado por Sobreda às 00:06
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 22 de Novembro de 2008

‘Casas’ pelo teatroàparte

 

“As pessoas têm a mania que são donas de cães, de canários, de outras pessoas, de casa, a até da própria terra. Ponhamos os cães e os canários de lado, e vejamos como é que se comportam as pessoas com as casas.
Depois a história é simples: a porteira trabalha para a madrasta e depois vem o Príncipe, que é mais poderoso, expropria a madrasta e fica com a porteira. Mas como é que é depois da felicidade para sempre? Como é que são as histórias depois de acabarem as histórias?” (Miguel Castro Caldas).
Eis o enredo da peça ‘Casas’, em cena no Auditório Municipal Orlando Ribeiro, em Telheiras. A peça, conduzida pelo ‘teatroàparte’ - grupo de Teatro amador da ART 1 -, com texto da autoria de Miguel Castro Caldas e encenação de Gonçalo Amorim, está em cena desde 14 de Novembro e tem as últimas representações hoje, às 22 horas e dia 28 de Novembro, também às 22h, e dia 26, às 16h e às 22h.
 

 

1. Ver http://teatroaparte.no.sapo.pt
publicado por Sobreda às 18:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Em prisão domiciliária à espera de pulseira electrónica

O jovem criminoso tem apenas 16 anos, mas é suspeito de dez roubos violentos. E, na última semana, praticou mais um, apesar de estar obrigado a ficar em casa, na Ameixoeira, Lisboa, com pulseira electrónica a controlar os movimentos.

Apontou uma navalha ao pescoço de um professor, sequestrando-o quando este estacionava o carro na zona de Telheiras - e, depois de se sentar ao volante, forçou-o a levantar dinheiro em várias caixas. Mais de 500 euros. Levou-o para a Cova da Moura, onde foi comprar droga, mas também acabou assaltado. Ficaram sem nada.
Depois de fazer os vários levantamentos em diferentes caixas ATM e de comprar os primeiros cem euros em cocaína nas Galinheiras, o jovem assaltante, sempre com a vítima sequestrada no banco ao lado, decidiu ir reforçar a sua dose diária de droga ao bairro da Cova da Moura, na Amadora.
Mal saiu do carro do professor já tinha dois homens com navalhas apontadas ao corpo. O ladrão de 16 anos acabou desarmado por dois mais velhos, que levaram o dinheiro levantado da conta do professor e seguiram viagem no carro da vítima. O automóvel foi abandonado e acabou recuperado pela PSP.
O jovem assaltante e o professor sequestrado ficaram apeados numa das zonas mais perigosas da área metropolitana de Lisboa, onde a navalha com 15 centímetros de lâmina já não servia de nada ao jovem de 16 anos. Separaram-se, com a vítima em pânico, mas a identificação do assaltante à PJ foi fácil.
Inspectores da secção de roubos foram buscá-lo anteontem e ainda tinha ainda o leitor de MP3 roubado ao professor. Faltava o telemóvel 1. Só ontem seria presente ao tribunal, à espera da pulseirinha... 2
Quando sequestrou na última semana o professor em Telheiras, encontrava-se no cumprimento de uma medida de coacção de obrigação de permanência na habitação por outros crimes cometidos recentemente. No entanto, a pulseira electrónica que deveria garantir a sua permanência em casa ainda não tinha sido colocada.
A medida tinha sido decretada pelo tribunal no final de Outubro, mas duas semanas depois ainda não tinha sido aplicada pela Direcção-Geral de Reinserção Social, tutelada pelo Ministério da Justiça.
A situação não é inédita e repete-se com frequência. Isto porque, quando o tribunal decreta a obrigação de permanência na habitação de um arguido com aplicação de pulseira electrónica, é necessário que os técnicos da Direcção-Geral para a Reinserção Social verifiquem a adequabilidade e exequabilidade da medida de coacção 1.
 
1. Ler João C. Rodrigues e Henrique Machado IN www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=DBEEBBD2-696A-426A-9268-FA44D1330155&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010
2. Ler o que se previa para estes casos já há mais de um ano e meio IN http://cdulumiar.blogs.sapo.pt/20704.html
publicado por Sobreda às 02:43
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

EPUL em falência técnica

Na 4ª fª a CML aprovou as contas de 2006 e 2007 da EPUL, que foi ainda autorizada pelo executivo a vender terrenos no Paço de Lumiar e em Telheiras. Esta alienação destina-se a equilibrar as contas da empresa, em situação de falência técnica 1.

O plano de alienação dos lotes de terrenos, no valor de dez milhões de euros, tem como objectivo diminuir o passivo de 13 milhões de euros, apurados no final da gestão de 2007. Este pode ser o último fôlego para a empresa que se dedica à reabilitação urbana da cidade, já que está praticamente em falência técnica e o seu capital social diminuiu consideravelmente.
Segundo a Lei das Finanças Locais, duas soluções restavam à CML: acabar com a empresa municipal ou injectar capital. Com a aprovação ontem da venda de terrenos e das respectivas contas da gestão de 2006 e 2007, que tinham sido chumbadas em Julho, o presidente da CML optou pela segunda hipótese.
Para a desastrosa saúde financeira da EPUL terão contribuído valorizações artificiais das receitas. Durante estas gestões, terão sido dados como lucros as vendas de fogos, mas cujo dinheiro nunca chegou a entrar nos cofres da empresa.
Ou seja, pressupondo que um fogo valeria 150 mil euros, mesmo sem ainda ter recebido tal valor, a contabilidade da EPUL considerava-o como receita total, apenas com base em contratos de compra e venda, sem que o dinheiro efectivamente fosse recebido. A falha só foi detectada pelos revisores de contas, que assinalaram essa irregularidade.
A venda dos terrenos - no Lumiar e Telheiras - não mereceu o consenso da oposição, que criticou o método escolhido de saneamento das contas pela dupla de vereadores do Urbanismo e Finanças.
“Com esta alienação a EPUL vai concorrer de forma desleal com os promotores imobiliários”. “Não nos foram facultados dados suficientes que digam que isto resolve o problema. Na Gebalis, a administração apresentou um plano de saneamento das suas contas, na EPUL não se verifica isso”. PCP, PSD e Cidadãos por Lisboa votaram contra as contas da empresa.
 
1. Ver http://jornal.publico.clix.pt/default.asp?url=%2Fmain%2Easp%3Fdt%3D20081120%26page%3D23%26c%3DA
2. Ver http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior&content_id=1047087
publicado por Sobreda às 00:06
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

.Contacta a CDU Lumiar:

E-mail: cdulumiar@sapo.pt ; Website: http://cdulumiar.no.sapo.pt

.Participar

. Participe neste blogue

.Fotos do Sapo

http://fotos.sapo.pt/login?to=manage