Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Gestão incompetente, estr...

. A comunicação social é um...

. Apontamentos insuficiente...

. Notas sobre a sessão de c...

. Cínicos e desprezíveis

. Assembleia da ´República ...

. 26 Março - Manifestação N...

. Festa do AVANTE promove «...

. Ensino Profissional em Po...

. O movimento associativo p...

. Realizou-se a Assembleia ...

. Que política é esta?

. Orçamento do Estado para ...

. 13 Março - Assembleia da ...

. Acção Nacional dia 16 – “...

. 18 Março - Inauguração da...

. CML - Segunda Circular e ...

. 100 anos, 100 acções do P...

. Um grande Comício no Aniv...

. Câmara de Lisboa: Grandes...

. Taxas na Cidade de Lisboa...

. ...

. Lutar: A resposta dos tra...

. Obras na escola pré-fabri...

. CT Lumiar - Almoço comemo...

. PCP contacta trabalhadore...

. 6 Março - Comicio Anivers...

. REÚNE EM ÉVORA O PRÓXIMO ...

. CML - Orçamento participa...

. PCP apresenta na Assemble...

. Requerimento sobre o Bair...

. O TRATADO DO GRANDE CAPIT...

. Injustiça nas leis, (in)j...

. Medidas do Governo são in...

. Desemprego e Pensões a re...

. LINHAS DE ALTA TENSÃO - O...

. HOJE NO COLISEU - A homen...

. PCP: Em defesa da Saúde p...

. 27 Novembro, O Capital Re...

. 4 Dezembro - Homenagem a ...

. 25 Novembro, Debate promo...

. A RESPOSTA NECESSÁRIA E I...

. PCP quer reduzir desigual...

. O salto à Vara

. Aumento do Salário Mínimo...

. Dívidas à Segurança Socia...

. Combate à corrupção em di...

. Associação Iúri Gagárin p...

. Despedimentos e encerrame...

. O Sr. Governador

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Sexta-feira, 2 de Novembro de 2007

Insegurança nocturna em Lisboa

Lisboa nove horas da manhã. Primeiro dia da semana. Um pai na companhia de dois dos seus filhos sai de casa para os levar ao colégio e iniciar dentro da normalidade possível o seu dia de trabalho. Tudo aparentemente se passa como habitualmente todos os dias e todas as semanas com esta família.

O cenário é as traseiras da Avenida João XXI, mais concretamente no logradouro da Avenida de Paris em Lisboa. Pai e filhos chegam junto dos dois carros da família. O filho mais velho chama a atenção do pai para um dos carros ter as rodas diferentes. O pai diz-lhe que deve estar enganado. O menino insiste enquanto seu pai abre o carro e põe o irmão na cadeirinha de bebé.

Um papel no vidro da frente do carro chama a atenção. É lido com um misto de curiosidade e de revolta - é um papel escrito por um agente da PSP de Arroios a alertar para a tentativa de roubo do seu carro, concretamente das suas quatro rodas, sugerindo para levar a viatura a uma oficina porque foi a PSP que em flagrante teve de apertar sobretudo as rodas traseiras. Estupefacto o pai, olha em redor e vê vários carros sem rodas e sem jantes. (...)

Mais tarde telefona para a oficina, pedindo que lhe venham buscar o carro para verem se está ou não tudo bem. Assim acontece. Três horas depois é informado que os quatro pneus que o carro tem são pneus velhos, desconformes com a normalidade e sem segurança (...)

Conclusão: os larápios trocaram os pneus do carro por outros velhos! E a despesa são algumas boas dezenas de contos. Este exemplo que aqui relato por escrito é um exemplo claro da insegurança que perpassa neste momento pela cidade de Lisboa. Por razões mais do que óbvias.

Que causas estão na origem de tudo isto? Várias. De entre as quais a falta de motivação dos agentes da autoridade devido a má orientação aliado à crise económica que se faz sentir em vários dos sectores da sociedade portuguesa. Ao Governo e à CML exige-se que as coisas mudem neste capítulo porque, goste-se ou não, a insegurança em Lisboa é cada vez maior. (...) Mais palavras para quê?

 

Ler artigo de F. B. Duarte na íntegra IN http://jn.sapo.pt/2007/10/29/pais/inseguranca_lisboa.html

publicado por Sobreda às 01:33
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

.Participar

. Participe neste blogue