Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Gestão incompetente, estr...

. A comunicação social é um...

. Apontamentos insuficiente...

. Notas sobre a sessão de c...

. Cínicos e desprezíveis

. Assembleia da ´República ...

. 26 Março - Manifestação N...

. Festa do AVANTE promove «...

. Ensino Profissional em Po...

. O movimento associativo p...

. Realizou-se a Assembleia ...

. Que política é esta?

. Orçamento do Estado para ...

. 13 Março - Assembleia da ...

. Acção Nacional dia 16 – “...

. 18 Março - Inauguração da...

. CML - Segunda Circular e ...

. 100 anos, 100 acções do P...

. Um grande Comício no Aniv...

. Câmara de Lisboa: Grandes...

. Taxas na Cidade de Lisboa...

. ...

. Lutar: A resposta dos tra...

. Obras na escola pré-fabri...

. CT Lumiar - Almoço comemo...

. PCP contacta trabalhadore...

. 6 Março - Comicio Anivers...

. REÚNE EM ÉVORA O PRÓXIMO ...

. CML - Orçamento participa...

. PCP apresenta na Assemble...

. Requerimento sobre o Bair...

. O TRATADO DO GRANDE CAPIT...

. Injustiça nas leis, (in)j...

. Medidas do Governo são in...

. Desemprego e Pensões a re...

. LINHAS DE ALTA TENSÃO - O...

. HOJE NO COLISEU - A homen...

. PCP: Em defesa da Saúde p...

. 27 Novembro, O Capital Re...

. 4 Dezembro - Homenagem a ...

. 25 Novembro, Debate promo...

. A RESPOSTA NECESSÁRIA E I...

. PCP quer reduzir desigual...

. O salto à Vara

. Aumento do Salário Mínimo...

. Dívidas à Segurança Socia...

. Combate à corrupção em di...

. Associação Iúri Gagárin p...

. Despedimentos e encerrame...

. O Sr. Governador

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

Mudar de vida pelo ambiente

Uma sondagem realizada pela BBC, abrangendo 22 mil pessoas em 21 países, concluiu que 83% das pessoas inquiridas estão prontas a mudar o seu estilo de vida em prol do ambiente, como, por exemplo, pagar combustíveis mais caros, com o objectivo de diminuir o impacto das alterações climáticas. As pessoas terão reconhecido que as “alterações climáticas exigem uma alteração de hábitos”, explica o director do Programa sobre Atitudes de Política Internacional da BBC.

Os cientistas afirmam que as emissões de carbono derivadas dos combustíveis fósseis para gerar electricidade e alimentar o transporte provocaram uma subida na temperatura média global ao longo do último século, da qual resulta um maior número de inundações, fome e outras tragédias.

Talvez por isso, em 14 dos 21 países, 61% dos inquiridos apoiariam o aumento de impostos sobre o consumo de energia, mas desde que tivessem a garantia de que o dinheiro seria usado para procurar novas fontes energéticas ou para aumentar a sua eficiência. Os contribuintes poderiam aceitar aumentos nas ‘ecotaxas’, desde que outros impostos diminuam e, portanto, isso não implique um aumento substancial daquilo que têm de pagar 1.

A sondagem não incluiu porém Portugal. De certeza que os cidadãos portugueses teriam de imediato contestado a criação de qualquer tipo de taxa extra, fosse ela ‘eco’ ou não. É que os impostos directos e indirectos sobre contribuintes e consumidores no nosso país são já dos mais elevados na U.E.

Uma análise fundamentada da proposta de Orçamento para 2008 leva à conclusão de que o método utilizado tem sido o de retirar do âmbito do OE múltiplas entidades, transformando-as em entidades empresariais. A proposta de OE2008 que o Governo apresentou vai determinar um aumento da injustiça fiscal, porque as receitas dos impostos indirectos, que são os mais injustos, vão aumentar muito mais do que as receitas, que têm como origem os impostos directos.

Também a manipulação da taxa de inflação tem sido um instrumento utilizado pelo Governo para impor sacrifícios aos trabalhadores 2. Com efeito, com ou sem discussão de Orçamento, relembre-se que, mesmo na U.E., “poucos cidadãos querem que os seus impostos aumentem” 1.

 

1. Ver http://dn.sapo.pt/2007/11/06/ciencia/mudar_vida_pelo_ambiente.html

2. Ver http://resistir.info/e_rosa/orcamento_2008.html

publicado por Sobreda às 01:10
Link do artigo | Adicionar aos favoritos
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.Participar

. Participe neste blogue