Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Gestão incompetente, estr...

. A comunicação social é um...

. Apontamentos insuficiente...

. Notas sobre a sessão de c...

. Cínicos e desprezíveis

. Assembleia da ´República ...

. 26 Março - Manifestação N...

. Festa do AVANTE promove «...

. Ensino Profissional em Po...

. O movimento associativo p...

. Realizou-se a Assembleia ...

. Que política é esta?

. Orçamento do Estado para ...

. 13 Março - Assembleia da ...

. Acção Nacional dia 16 – “...

. 18 Março - Inauguração da...

. CML - Segunda Circular e ...

. 100 anos, 100 acções do P...

. Um grande Comício no Aniv...

. Câmara de Lisboa: Grandes...

. Taxas na Cidade de Lisboa...

. ...

. Lutar: A resposta dos tra...

. Obras na escola pré-fabri...

. CT Lumiar - Almoço comemo...

. PCP contacta trabalhadore...

. 6 Março - Comicio Anivers...

. REÚNE EM ÉVORA O PRÓXIMO ...

. CML - Orçamento participa...

. PCP apresenta na Assemble...

. Requerimento sobre o Bair...

. O TRATADO DO GRANDE CAPIT...

. Injustiça nas leis, (in)j...

. Medidas do Governo são in...

. Desemprego e Pensões a re...

. LINHAS DE ALTA TENSÃO - O...

. HOJE NO COLISEU - A homen...

. PCP: Em defesa da Saúde p...

. 27 Novembro, O Capital Re...

. 4 Dezembro - Homenagem a ...

. 25 Novembro, Debate promo...

. A RESPOSTA NECESSÁRIA E I...

. PCP quer reduzir desigual...

. O salto à Vara

. Aumento do Salário Mínimo...

. Dívidas à Segurança Socia...

. Combate à corrupção em di...

. Associação Iúri Gagárin p...

. Despedimentos e encerrame...

. O Sr. Governador

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Discriminado por ser comunista

Como militante comunista que é, como homem atento àquilo que o rodeia, como é que interpreta o mundo de hoje?

- Interpreto-o como um mundo verdadeiramente horroroso, onde é realmente barbárie o que está a acontecer. O restabelecimento da tortura pelos Estados Unidos, com falsos pretextos, o desaparecimento dos próprios direitos humanos, com casos de escravatura sexual ou de escravatura no trabalho, de trabalhadores que são contratados e que ficam presos. Há imensos casos, neste momento, de desrespeito total pelos valores humanos. O próprio capitalismo neoliberal cria isso e, ao mesmo tempo, vai criando resistências, vai criando Estados quase policiais. Por todo o lado começa a aparecer um Estado-polícia a defender este modelo, esta sociedade de mercado que cria riqueza e desenvolvimento que só beneficia uma pequena faixa da humanidade e aí se vai multiplicando e, por outro lado, cria bolsas de miséria cada vez maiores e desrespeito total pelo ser humano.

E que comentário lhe merece este Portugal em que existe um governo socialista, mas em que se verificam retrocessos em torno de muitas das conquistas alcançadas com o 25 de Abril?

- No fundo é o modelo europeu do capitalismo neoliberal que é cada vez menos social-democrata, se é que ainda tem alguma coisa de social-democrata, que está a ser aplicado em Portugal, com uns pozinhos, de vez em quando, de generosidade socialista, mas entre aspas. Na realidade são coisas para deitar poeira nos olhos e a tendência repressiva deste governo que se chama socialista, mas que de socialista já não tem nada, é cada vez maior.

O Urbano viajou muito. Aliás, fez das suas viagens como repórter jornalístico vários livros, contando as experiências dessas viagens. Venezuela, Colômbia e Equador são três exemplos do que poderíamos designar como tentativas para construir o socialismo através do sistema parlamentar. Parece-lhe que isto é possível?

- Eu acho que o socialismo implica a participação profunda do povo. Tem de haver uma participação de conselhos de trabalhadores, de comités de moradores, tem de haver uma participação real, caso contrário não é socialismo. Um parlamento não garante a democracia de maneira nenhuma. Só por si não garante. Até é quase uma forma de ditadura da burguesia.

São muitos os prémios que já recebeu ao longo da sua extensa carreira como escritor. Mas a sua carreira nem sempre foi fácil. Nem sempre teve o reconhecimento que merecia. Alguma vez se sentiu discriminado pelas suas convicções políticas?

- Senti-me muitas vezes. No tempo do fascismo vivia num ostracismo. Não só fui proibido de ensinar em Portugal, como tive livros apreendidos e os que não eram apreendidos eram escondidos e pedia-se nas livrarias que os pusessem nos escaparates e não nas montras. E eram vendidos alguns por debaixo das mesas. Havia uma discriminação total. Depois do 25 de Abril, fui discriminado por ser comunista e durante muito tempo, até que, talvez o prestígio, a idade, as condições que hoje são um pouco diferentes, tenham chamado um pouco mais a atenção sobre mim. Hoje já não sinto o peso desse afastamento, por assim dizer.

 

Ler entrevista a Urbano Tavares Rodrigues na íntegra IN Jornal ‘A Voz do Operário’, nº 2937 (Nov. 2007), p. 8-9, http://jornal.vozoperario.pt/content/view/423/2/

publicado por Sobreda às 01:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

.Participar

. Participe neste blogue