Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

Sindicatos e Ministra acabam em ‘desacordo absoluto’

Sobreda, 12.12.08

O Ministério da Educação antecipou para ontem a reunião com os sindicatos de professores sobre o modelo de avaliação de desempenho, que estava agendada para o início da próxima semana e na qual a Plataforma apresentou as suas propostas para este processo.

De acordo com o dirigente sindical, a proposta dos sindicatos previa a suspensão do modelo de avaliação em vigor, a adopção de uma solução transitória para este ano lectivo e o início, já em Janeiro, de um processo negocial com vista à revisão do Estatuto da Carreira Docente, nomeadamente para alterar a estruturação da carreira, actualmente dividida em duas categorias (professor e professor titular).
À entrada para a reunião, a Ministra da Educação reafirmou que a avaliação dos professores vai avançar este ano lectivo, garantindo, mais uma vez, que o processo não será suspenso. “A suspensão não está em causa. O processo de avaliação [de desempenho dos professores] vai continuar”, afirmou a ministra.
No final da reunião de ontem com a Ministra da Educação, o Governo e os sindicatos de professores continuam em “desacordo absoluto” relativamente ao modelo de avaliação dos docentes, disse o porta-voz da Plataforma Sindical de professores. “O desacordo foi absoluto e evidente porque o ministério não aceitou um único dos itens propostos pelos sindicatos (…) Saímos desta reunião exactamente como entrámos, com o Ministério inflexível e sem abertura”.
Considerando que a reunião como a ministra não teve resultados, os sindicatos anunciaram que vão distribuir em todas as escolas uma tomada de posição que reivindica a suspensão imediata do processo de avaliação, esperando entregar ao Ministério da Educação no próximo dia 22 “o maior abaixo-assinado que alguma vez os professores portugueses fizeram”.
A Plataforma Sindical, que reúne os 11 sindicatos do sector, decidiu ainda manter a greve nacional de professores prevista para 19 de Janeiro. Antes, no dia 13 do mesmo mês, os sindicatos promoverão reuniões de professores em todas as escolas para “reflectir sobre a revisão do Estatuto da Carreira Docente”.
 
Ver Lusa doc. nº 9106808, 11/12/2008 - 18:25