Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

A má vizinhança de uma Incineradora

Sobreda, 15.05.07

A incineradora de resíduos hospitalares localizada no Parque de Saúde de Lisboa, sita no Hospital Júlio de Matos 1, é actualmente a única existente no país, encontrando-se a proceder ao tratamento de cerca de 6.000 toneladas de resíduos perigosos por dia.

Apesar de em Novembro de 2003 a incineradora ter sofrido obras de requalificação, a 22 de Junho de 2006 ocorreu uma explosão numa das suas caldeiras. A sua actividade foi mesmo suspensa nesse mês de Junho e de novo em Novembro, tendo os seus resíduos hospitalares sido temporariamente exportados para países como a Alemanha e a Espanha. No final do passado mês de Março, a incineradora voltou a apresentar emissões de dioxinas e furanos 30 vezes acima do limite admissível.

Considerando esse elevado nível de emissões e a “situação de perigo grave para a saúde e ambiente”, a Inspecção Geral do Ambiente e Ordenamento do Território ordenou o encerramento da incineradora de resíduos hospitalares por alguns dias, tendo determinado a suspensão do funcionamento até ser garantido o cumprimento dos valores legalmente estabelecidos. Para além de tal facto, a incineradora tem-se mantido em actividade com uma licença provisória atribuída pela Inspecção-Geral de Saúde, sendo que o seu licenciamento definitivo só será concedido depois de verificado se estão a ser cumpridas as condicionantes impostas na declaração de impacte ambiental.

Acresce que para estas situações, “assumidas” várias vezes como pontuais, não existe a comprovação que não possam voltar a pôr em risco os residentes das limítrofes Freguesias de Alvalade, Campo Grande, Lumiar e São João de Brito. Ora, encontra-se sanitariamente provado que uma exposição a longo prazo a emissões de dioxinas e furanos pode acarretar graves riscos para a saúde humana, nomeadamente de certas formas de doenças tumorais e alterações hormonais, que podem provocar alterações fisiológicas, sobretudo em crianças e grávidas 2.

A própria CML já expressou a sua preocupação acerca da localização deste equipamento, por considerar que se encontrava demasiado próximo de zonas residenciais e por apresentar impactos negativos ao nível da qualidade do ar e do ruído.

Foi com base nestes pressupostos que o Partido Ecologista “Os Verdes” apresentou hoje na sessão da Assembleia Municipal de Lisboa uma Recomendação tendo em vista uma melhor fiscalização através da instalação de uma Estação de Monitorização da Qualidade do Ar, articulada com a rede já existente, e que os relatórios com os resultados da monitorização da referida incineradora sejam periodicamente divulgados.

A Recomendação, que propunha acima de tudo que as instâncias competentes procedam à descentralização a curto/médio prazo da incineradora para uma zona não residencial, no sentido de proteger a qualidade do ar, e consequentemente a qualidade de vida das populações aí residentes, foi aprovada por maioria com os votos favoráveis do PEV, PSD, PCP, BE e CDS. Apenas os deputados do PS votaram contra. Será por não estarem preocupados com este gravíssimo foco de poluição para a saúde humana? Ou será que apenas têm na cabeça as eleições intercalares para o município de Lisboa?

 

1. Ver a localização da central térmica junto à Rua das Murtas, perto da 2ª circular, no pavilhão 31C na planta do URL www.infarmed.pt/en/instituicao/mapas/mapa_interno.html

2. Ver http://mundodolixo.tripod.com/index_arquivos/page0004.htm