Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Gestão incompetente, estr...

. A comunicação social é um...

. Apontamentos insuficiente...

. Notas sobre a sessão de c...

. Cínicos e desprezíveis

. Assembleia da ´República ...

. 26 Março - Manifestação N...

. Festa do AVANTE promove «...

. Ensino Profissional em Po...

. O movimento associativo p...

. Realizou-se a Assembleia ...

. Que política é esta?

. Orçamento do Estado para ...

. 13 Março - Assembleia da ...

. Acção Nacional dia 16 – “...

. 18 Março - Inauguração da...

. CML - Segunda Circular e ...

. 100 anos, 100 acções do P...

. Um grande Comício no Aniv...

. Câmara de Lisboa: Grandes...

. Taxas na Cidade de Lisboa...

. ...

. Lutar: A resposta dos tra...

. Obras na escola pré-fabri...

. CT Lumiar - Almoço comemo...

. PCP contacta trabalhadore...

. 6 Março - Comicio Anivers...

. REÚNE EM ÉVORA O PRÓXIMO ...

. CML - Orçamento participa...

. PCP apresenta na Assemble...

. Requerimento sobre o Bair...

. O TRATADO DO GRANDE CAPIT...

. Injustiça nas leis, (in)j...

. Medidas do Governo são in...

. Desemprego e Pensões a re...

. LINHAS DE ALTA TENSÃO - O...

. HOJE NO COLISEU - A homen...

. PCP: Em defesa da Saúde p...

. 27 Novembro, O Capital Re...

. 4 Dezembro - Homenagem a ...

. 25 Novembro, Debate promo...

. A RESPOSTA NECESSÁRIA E I...

. PCP quer reduzir desigual...

. O salto à Vara

. Aumento do Salário Mínimo...

. Dívidas à Segurança Socia...

. Combate à corrupção em di...

. Associação Iúri Gagárin p...

. Despedimentos e encerrame...

. O Sr. Governador

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Novo combate a vencer

Lisboa sofre desde 2001, as consequências da política de direita, levada a cabo pelo PSD em aliança com o CDS.

Esta política degradou profundamente as condições de vida na cidade, nomeadamente, no trânsito e estacionamento, na limpeza urbana, na falta de resposta aos problemas que afectam os bairros municipais, na desarticulação dos serviços e desmotivação dos milhares de trabalhadores do município, na ausência de uma política desportiva e de apoio ao movimento associativo e na degradação do parque escolar.

A principal preocupação da direita foi entregar a cidade à especulação imobiliária. Entrega que se prepara para aprofundar com a revisão do PDM. A situação pantanosa a que chegou a CML resulta da falência desta política contrária ao interesse público e às condições de vida do povo de Lisboa.

No entanto, o PSD e o CDS não são os únicos responsáveis pela situação a que chegou o município porque, nas questões essenciais, tiveram sempre o apoio político e o voto expresso do PS. No caso concreto da permuta dos terrenos do Parque Mayer / Feira Popular, contaram ainda com o voto favorável do BE.

É de salientar que não se tratou de um voto qualquer, já que o PS e o BE sabiam que sem o seu voto, o negócio não passava na Assembleia Municipal. Foi para travar o andamento deste e de outros processos igualmente ruinosos para a cidade que os eleitos da CDU decidiram interpor as acções respectivas. São estes processos que estão, agora, a ser investigados pela Policia Judiciária e pelo Ministério Público e que devem continuar apurando todas as responsabilidades.

Neste momento em que as eleições intercalares estão marcadas e os eleitores de Lisboa vão ser chamados a julgar nas urnas as posições assumidas por cada força política, há quem queira fazer esquecer estes factos e fazer de conta que não existiram. É nosso dever mantê-los vivos na memória dos lisboetas para que possam considerá-los quando decidirem a quem dar o seu voto no dia 15 de Julho.

Há por isso que garantir a ruptura necessária com a única força política que se apresenta a estas eleições «sem nódoas na vestimenta», que pode apresentar-se perante os eleitores de cabeça erguida e sem ser acusada de cumplicidades com a política levada a cabo pela direita na CML. A CDU é, por tudo isto, a única força política que garante uma efectiva ruptura com a mais vergonhosa gestão autárquica de que há memória em Lisboa nos últimos anos. E que atirou Lisboa para a anarquia urbanística, as negociatas, o atraso e a ruína financeira. Se ainda fosse necessário, os últimos anos provaram que a CDU, é uma força indispensável a Lisboa e que fecha as portas à especulação imobiliária e garante o caminho do progresso. A CDU é a força alternativa porque soma à coerência um projecto alternativo para a cidade.

Numa altura em que os cidadãos de Lisboa se sentem profundamente defraudados com a gestão camarária, é necessário dizer bem alto que é possível sair do lamaçal, mudar de vida. Que há solução para Lisboa - a CDU, com o seu trabalho, honestidade e competência.

Na cidade de Lisboa, está colocado um difícil mas também aliciante desafio. Conseguir chegar ao coração mas, sobretudo, à razão dos lisboetas, e mostrar-lhes que o voto na CDU é um voto seguro numa política de esquerda para Lisboa, que a CDU não pactua com interesses obscuros e tem como único objectivo tornar a cidade mais humana, justa e solidária, que é o único voto que tem a força da mudança, para mudar de rumo e retirar a cidade da actual situação.

publicado por cdulumiar às 11:45
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

.Participar

. Participe neste blogue