Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

Debate sobre o património cultural

Sobreda, 13.07.07

Realizou-se na passada semana um debate sobre o património cultural de Lisboa, com a participação de Ruben de Carvalho, Alice Vieira, Filipe Diniz, Tiago Saraiva e Abdissa Gamada, os quais reafirmaram a necessidade de se dar mais força à CDU para que se defenda melhor a cultura, o património e a vida dos lisboetas.

Na ocasião, o cabeça de lista da CDU à CML, após criticar as “profundas alterações da realidade urbana” com as operações de reabilitação feitas pela maioria de direita nos últimos seis anos, defendeu que a reabilitação de habitações e património cultural, por serem inseparáveis das pessoas, são essenciais para manter o perfil das populações.

Como exemplo, referiu Alcântara, que de “bastião da classe operária” passou a estar ocupado por condomínios privados que “se apropriaram do espaço, da luz, da água, da vista e da claridade”. “A recuperação urbana não é um negócio, é um serviço público e uma responsabilidade municipal”, salientou, acrescentando que “os padrões pioneiros” estabelecidos quando a CDU estava no governo da cidade foram depois alterados “com prejuízo para Lisboa”.

Para a CDU, é essencial “manter o carácter dos bairros e das ruas”, sendo “preciso uma ligação dos lisboetas à cidade, que só acontece se eles ali se sentirem bem e não acontece quando, por exemplo, os autocarros da Carris andam a 18 quilómetros por hora e se demora três horas a chegar a qualquer lado”, acrescentou.

O cabeça de lista da CDU criticou ainda, numa posterior visita à zona, o projecto do Porto de Lisboa para construir uma zona comercial associada ao terminal para cruzeiros no Tejo frente a Alfama, alertando que será “uma muralha” que destruirá a vista do rio.

“A Câmara não pode alhear-se de nenhum projecto que diga respeito à cidade. A Câmara tem que levantar o problema junto da administração central”, defendeu o candidato comunista, alertando que o projecto do Porto de Lisboa prevê “construção em altura de dois ou três pisos”. “Fazer um terminal para cruzeiros, até aí tudo bem. Mas preparam-se para fazer ali um centro comercial, ao longo de um quilómetro do cais e com dois ou três pisos de altura, ou seja, uma muralha que destruirá toda a visão de Alfama para o rio...”

Sobre o projecto do Porto de Lisboa, o candidato da CDU considerou ainda que “até do ponto de vista económico” a ideia de um centro comercial no cais será prejudicial à cidade, prevendo que os turistas prefiram ali fazer as suas compras, e não saiam para a baixa da cidade, criticando por nos últimos seis anos na CML se ter “transformado a recuperação de prédios antigos” em meros “negócios e especulação”.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.