Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Alterações climáticas hoj...

. Cidades portuguesas apaga...

. Debate ‘O Ambiente e a Ec...

. Mudar de vida pelo ambien...

. Dia Europeu Sem Carros

. Caminhos verdes para faze...

. O clima já não é o que er...

. 'Stop' às alterações clim...

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Quinta-feira, 18 de Junho de 2009

Alterações climáticas hoje em debate

 

O sector intelectual de Lisboa do PCP organiza hoje, 5ª feira, dia 18 de Junho, às 18 horas no Centro de Trabalho Vitória, na Avenida da Liberdade, um debate sobre a realidade ou mistificação das ‘Alterações climáticas’.
O debate será coordenado pelo doutorado Henrique Oliveira Pires.
publicado por cdulumiar às 09:54
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 28 de Março de 2009

Cidades portuguesas apagam luzes para alertar para alterações climáticas

Sete cidades portuguesas juntam-se hoje, pela primeira vez, a mais 3.000 no Mundo que durante uma hora vão 'ficar às escuras' para alertar para a necessidade de medidas urgentes contra as alterações climáticas.

Durante uma hora, locais e monumentos emblemáticos de Lisboa, Tomar, Águeda, Vila Nova de Famalicão, Funchal, Almeirim e Guimarães vão ficar apenas iluminados pelas estrelas entre as 20h30 e as 21h30 de sábado, no âmbito da ‘Hora do Planeta’, uma iniciativa do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), que visa alertar para a necessidade de se adoptarem medidas urgentes contra as alterações climáticas.
A responsável pela comunicação da WWF-Portugal explicou que a acção é “simbólica e pretende alertar as pessoas para a necessidade de, na sua vida quotidiana, pensarem na pressão que exercem sobre o planeta, e reduzirem a sua 'pegada' ecológica”.
À iniciativa mundial da WWF deste ano “aderiram já 3.000 cidades de 81 países”, o que, segundo estimativas desta entidade, vai levar “mil milhões de pessoas a apagarem as luzes durante uma hora no Mundo, cerca de 500 mil em Portugal”.
É a primeira vez que Portugal adere ao movimento, dois anos depois da primeira edição, em 2007, que levou “dois milhões de pessoas a apagarem as luzes em Sidney”, Austrália, reduzindo “o consumo de energia eléctrica em cerca de 10%. Isto só em Sidney. Esperamos que mil milhões de pessoas apaguem as luzes, mas esse número vai ser largamente ultrapassado: vamos dar uma oportunidade ao Planeta para se regenerar”, salientou a responsável do WWF-Portugal
Segundo a responsável, todos “os portugueses estão convidados a apagar as luzes das suas casas e poupar”.
A Ponte 25 de Abril, o Cristo Rei, o Palácio de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Padrão das Descobertas, o Castelo de São Jorge, os Paços do Concelho e o Museu da Electricidade são alguns dos muitos espaços da capital que vão “estar de luzes apagadas” durante 60 minutos.
No entanto, esta iniciativa pode ser “perturbadora da segurança da rede” e “provocar instabilidade de transporte da energia eléctrica a nível europeu”, conforme o presidente da empresa que gere as redes de transporte de electricidade em Portugal (REN), pois, “teoricamente, se houver uma grande adesão, poderá haver alguma perturbação da rede”, quando, em simultâneo, todos decidirem reacender as luzes.
As preocupações da REN resultam do funcionamento dos geradores que colocam a energia da rede, que têm de estar equilibrados com o consumo, uma vez que quando não há consumo a energia injectada na rede está em sobrecarga, o que pode destruir os pontos de rede.
Confrontada com esta possibilidade, a responsável do WWF Portugal disse que “a REN não alertou a organização” para estes eventuais problemas, explicando que quando a iniciativa foi lançada “houve um contacto com a EDP”, que garantiu que “haveria um ajuste de rede” e que o consumo menor na noite da acção “seria controlado”.
[Esperemos para… ver ou ficar às escuras]
 
Ver Lusa doc. nº 9481469, 26/03/2009 - 15:23
publicado por Sobreda às 00:15
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 17 de Junho de 2008

Debate ‘O Ambiente e a Economia’

Porque está o petróleo mais caro? Porque há falta de cereais? Porque está o clima anormal?
As questões ligadas ao Ambiente são hoje em dia tema de debates e discussões. O aquecimento global, a disponibilidade de água potável, a biodiversidade… Mas quase ninguém se atreve a fazer a relação directa entre estas questões e o modelo de desenvolvimento capitalista em que vivemos. A valorização de bens escassos, a apropriação dos recursos, a má distribuição da riqueza produzida, a globalização e a perda de direitos laborais.
Para debater estas questões, fazendo as interligações necessárias entre estes temas, e para melhor se compreender que a degradação do meio ambiente não é uma fatalidade e que um desenvolvimento sustentável é possível, com satisfação actual e futura das necessidades humanas sem pôr em causa os recursos do planeta, a CDU de Lisboa organiza o Debate ‘O Ambiente e a Economia’.
Dia 18 de Junho, a partir das 15 horas, no Jardim do Campo Grande (junto ao Caleidoscópio), e com a participação de Carlos Moura (vereador do PCP na CML) e de José Luís Ferreira (deputado Municipal de “Os Verdes” na AML).
Participe!
publicado por Sobreda às 00:30
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

Mudar de vida pelo ambiente

Uma sondagem realizada pela BBC, abrangendo 22 mil pessoas em 21 países, concluiu que 83% das pessoas inquiridas estão prontas a mudar o seu estilo de vida em prol do ambiente, como, por exemplo, pagar combustíveis mais caros, com o objectivo de diminuir o impacto das alterações climáticas. As pessoas terão reconhecido que as “alterações climáticas exigem uma alteração de hábitos”, explica o director do Programa sobre Atitudes de Política Internacional da BBC.

Os cientistas afirmam que as emissões de carbono derivadas dos combustíveis fósseis para gerar electricidade e alimentar o transporte provocaram uma subida na temperatura média global ao longo do último século, da qual resulta um maior número de inundações, fome e outras tragédias.

Talvez por isso, em 14 dos 21 países, 61% dos inquiridos apoiariam o aumento de impostos sobre o consumo de energia, mas desde que tivessem a garantia de que o dinheiro seria usado para procurar novas fontes energéticas ou para aumentar a sua eficiência. Os contribuintes poderiam aceitar aumentos nas ‘ecotaxas’, desde que outros impostos diminuam e, portanto, isso não implique um aumento substancial daquilo que têm de pagar 1.

A sondagem não incluiu porém Portugal. De certeza que os cidadãos portugueses teriam de imediato contestado a criação de qualquer tipo de taxa extra, fosse ela ‘eco’ ou não. É que os impostos directos e indirectos sobre contribuintes e consumidores no nosso país são já dos mais elevados na U.E.

Uma análise fundamentada da proposta de Orçamento para 2008 leva à conclusão de que o método utilizado tem sido o de retirar do âmbito do OE múltiplas entidades, transformando-as em entidades empresariais. A proposta de OE2008 que o Governo apresentou vai determinar um aumento da injustiça fiscal, porque as receitas dos impostos indirectos, que são os mais injustos, vão aumentar muito mais do que as receitas, que têm como origem os impostos directos.

Também a manipulação da taxa de inflação tem sido um instrumento utilizado pelo Governo para impor sacrifícios aos trabalhadores 2. Com efeito, com ou sem discussão de Orçamento, relembre-se que, mesmo na U.E., “poucos cidadãos querem que os seus impostos aumentem” 1.

 

1. Ver http://dn.sapo.pt/2007/11/06/ciencia/mudar_vida_pelo_ambiente.html

2. Ver http://resistir.info/e_rosa/orcamento_2008.html

publicado por Sobreda às 01:10
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21 de Setembro de 2007

Dia Europeu Sem Carros

No âmbito da Conferência Verde sobre Alterações Climáticas, que se realiza a 21 e 22 de Setembro em Lisboa, e da Presidência Portuguesa da União Europeia, a Ecolojovem, Juventude do Partido EcologistaOs Verdes, organiza em conjunto com os Jovens Verdes Europeus, uma iniciativa inserida no Dia Europeu Sem Carros, que se assinala a 22 de Setembro.

Esta iniciativa consiste numa animação de rua e pretende alertar para a problemática das Alterações Climáticas, para o peso que os transportes representam no aumento das emissões de CO2, assim como promover e incentivar uma Mobilidade Sustentável.

A acção terá lugar no dia 22 de Setembro, sábado, pelas 16 horas, no Largo do Chiado, próximo da Estação de Metro, e contará com a presença do Eurodeputado do Grupo Verde no Parlamento Europeu, Michael Cramer, do Presidente da Federação de Jovens Verdes Europeus (FYEG) Bartek Lech, e de vários jovens militantes e activistas do Partido Ecologista Os Verdes”.

 

Ver www.osverdes.pt/index01.html

publicado por Sobreda às 01:10
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2007

Caminhos verdes para fazer face às alterações climáticas

O Partido Ecologista “Os Verdes” e Os Verdes Europeus promovem uma Conferência sobre Alterações Climáticas e a U.E., apresentando Estratégias Energéticas para a Presidência Portuguesa, em Lisboa, nos dias 21 e 22 de Setembro, no Hotel Fénix, no Marquês de Pombal, com entrada livre.

 

PROGRAMA

 

21 de Setembro (6ª fª):

18 h - Mesa Redonda: Alterações Climáticas e as Prioridades da Presidência Portuguesa

Monica Frassoni, Presidente do Grupo Verdes / ALE no Parlamento Europeu

Humberto Rosa, Secretário de Estado do Ambiente

Heloísa Apolónia, Deputada de “Os Verdes” na Assembleia da República

Francisco Ferreira, Professor na Universidade Nova de Lisboa - Vice-presidente da QUERCUS

Claude Turmes, Vice-Presidente do Grupo Verdes / ALE no Parlamento Europeu

 

22 de Setembro (sábado):

10 h - Caminhos Verdes para fazer face às Alterações Climáticas

Moderador: Sepp Kusstatscher, Eurodeputado do Grupo Verdes / ALE no Parlamento Europeu

Oradores:

Francisco Madeira Lopes, Deputado de “Os Verdes” na Assembleia da República

Sá da Costa, Presidente da APREN - Associação de Energias Renováveis

Aníbal de Almeida, Professor na Universidade de Coimbra - Eficiência Energética

Hermann Knoflacher, Professor na Universidade de Viena - O Futuro da Mobilidade

Manuel Tão, Investigador na Universidade do Algarve - Uma política de transportes com responsabilidade social e ambiental

Michael Cramer, Eurodeputado do Grupo Verdes / ALE no Parlamento Europeu

 

Ver www.osverdes.pt/index01.html

publicado por Sobreda às 01:10
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 9 de Agosto de 2007

O clima já não é o que era

Sismos, tornados, tempestades, inundações, ameaça nuclear: aqui planeta Terra.

Desde 2ª fª que um grupo de mineiros se encontra preso a 475 metros de profundidade, após o desabamento de uma mina no Estado norte-americano de Utah, na sequência de ‘actividades sísmicas’ 1.

Um tornado da categoria F-2 atingiu ontem a cidade de Nova Iorque, causando a morte de uma pessoa e obrigando à evacuação de muitas outras. Cerca de 40 edifícios ficaram danificados durante as tempestades. Dezenas de residentes tiveram de deixar a localidade.

Grande parte da rede de metropolitano de Nova Iorque registava atrasos prolongados, pois muitos túneis estavam inundados. Espera-se para os próximos três dias o mesmo padrão meteorológico: muito calor, trovoadas e chuvas torrenciais durante breves espaços de tempo 2. Houve uma confusão intensa nas plataformas a abarrotar de metro e autocarros e também os táxis viajavam com a capacidade esgotada. Centenas de pessoas apertavam-se em paragens de autocarro na Times Square. Como nenhuma das linhas subterrâneas funcionava plenamente, muita gente preferiu trabalhar a partir de casa 3.

Noutro extremo do globo, um forte terramoto de magnitude 7,4 atingiu a ilha indonésia de Java Ocidental. O tremor ocorreu a 75 km noroeste de Indramayu, a uma profundidade de 286 km. Moradores da capital Jacarta também puderam sentir o terramoto. O abalo foi profundo demais para gerar um alerta de tsunamis. O tremor foi sentido na capital, Jacarta, na vizinha Bandung e na cidade de Yogyakarta, antiga cidade real no centro de Java, já devastada por um terramoto que matou mais de 5.700 pessoas há pouco mais de um ano. Os terramotos são frequentes na Indonésia, um arquipélago localizado no chamado 'Anel de Fogo do Pacífico', uma confluência de placas tectónicas com grande actividade sísmica 4. Na Europa Ocidental são as chuvas torrenciais, da Grã-Bretanha a Itália, da Catalunha à Alemanha; na Europa de Leste, da Grécia à Rússia, são as temperaturas acima dos 45º.

Até uma freira de 70 anos foi presa durante uma manifestação anti-nuclear frente a um laboratório norte-americano de armas nucleares, no 62.º aniversário de Hiroshima, tendo sido condenada a 20 dias de cadeia 5. Entretanto pela primeira vez foi dado como extinto um mamífero: o golfinho branco dos rios da China, por incúria humana 6.

Também em Lisboa, no âmbito das comemorações do Festival dos Oceanos, se pretende alertar para o panorama climático mundial. Por volta das 7h desta 5ª fª, vai ser montado na Praça do Comércio, um 'iceberg' com 3,5 metros de altura, 3,6 metros de diâmetro e 6 toneladas de gelo, composto a partir de vários blocos de gelo oriundos da Escandinávia.

“A ideia é alertar para as questões ambientais, causando impacto através de um iceberg que (…) a meio da manhã já deverá estar derretido”, explicou o responsável pela parte técnica da iniciativa. Segundo a organização, estão ainda previstas para 6ª fª e sábado demonstrações por parte de escultores de gelo, que esculpirão vários monumentos nacionais em cima de um palco montado na Praça do Comércio.

Esta iniciativa tem como objectivo alertar para as questões ambientais, como as alterações climatéricas e o degelo dos calotes polares 7. América, Europa ou Ásia, o clima já não é o que era.

Nota: Pelas 10h da manhã o 'iceberg' em forma de pirâmide procurava resistir aos já fortes raios matinais, derretendo-se lentamente. Ao final da hora do almoço desaparecera numa poça de água...

 

1. Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=49600

2. Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=49603

3. Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=49581

4. Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=49575

5. Ver http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=49597

6. Ver http://osverdesemlisboa.blogspot.com/2007/08/princesa-extinta-por-culpa-da-aco.html

7. Ver www.rtp.pt/index.php?article=293818&visual=16&rss=0

publicado por Sobreda às 01:18
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 4 de Junho de 2007

'Stop' às alterações climáticas

O Partido Ecologista “Os Verdes” assinala o Dia Mundial do Ambiente, que se comemora amanhã, dia 5 de Junho, com o encerramento da campanha de âmbito internacional ‘Stop às alterações climáticas’. Nesse dia, uma delegação de “Os Verdes” desloca-se à residencial oficial do sr. Primeiro-ministro e à Embaixada dos EUA, para entregar, a cada um dos destinatários, os cerca de 20.000 postais assinados pelos participantes nesta campanha nacional.

Com a campanha ‘Stop às alterações climáticas’, “Os Verdes” pretendem pressionar a administração norte-americana a aderir ao Protocolo de Quioto, manifestar a insatisfação pela política de transportes públicos seguida pelo Governo português e alertar a população para o fenómeno das alterações climáticas, promovendo comportamentos que ajudem a travar este fenómeno.

Recorde-se que, no âmbito desta campanha internacional iniciada em Dezembro de 2005, “Os Verdes” realizaram cerca de 250 iniciativas em todo o país, incluindo o Arquipélago dos Açores e da Madeira, tendo levado a campanha a mais de 200 concelhos.

Também o Grupo Parlamentar do Partido Ecologista “Os Verdes” organiza as suas Jornadas Parlamentares nos próximos dias 4 e 5 de Junho, sobre o tema “Litoral e Orla Costeira”, a fim de analisar a situação profundamente preocupante de erosão da nossa costa, agravada pelos sucessivos adiamentos de investimentos programados para a requalificação do litoral, assinalando também assim o Dia Mundial do Ambiente.

Nestas Jornadas, uma delegação de “Os Verdes” que inclui os deputados Francisco Madeira Lopes e Álvaro Saraiva, realizará saídas aos Distritos de Aveiro, Concelho de Ovar (Praia Esmoriz), Coimbra, Concelho de Mira (Praia de Mira) e Setúbal, Concelho de Almada (Costa da Caparica), com o objectivo de visitar locais que há muito evidenciam problemas nesta área.

 

1. Ver  http://osverdesemlisboa.blogspot.com/2007/06/campanhas-e-jornadas-parlamentares.html

publicado por Sobreda às 02:52
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

.Participar

. Participe neste blogue