Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

Natal abre portas aos maiores erros alimentares

Sobreda, 25.12.08

Os pratos tradicionais de Natal, sobretudo os doces, encontram-se nos antípodas de uma alimentação saudável. Até o fiel bacalhau cozido com batatas e couves acaba muitas vezes por ser adulterado com natas e gratinados. Mas o pior é mesmo estender a consoada a toda a semana.

 

 

As refeições são fartas em açúcares e gorduras. “Um dia não são dias” - diz-se numa expressão comum, quase sempre acompanhada de um sorriso, frente à farta mesa de Natal. E, de facto, se a ceia de Natal fosse consagrada como um período de abuso gastronómico, os danos para a saúde não seriam tão elevados. O problema é que, após a consoada, na véspera, vem o almoço de Natal e um sem-número de dias a comer os restos.
Porém, “ficar sentado em casa a comer é um hábito novo. Dantes, as pessoas iam dançar, festejar para a rua e visitar os amigos. Sempre havia algum movimento, algum exercício físico”, sublinha um endocrinologista. Do ponto de vista médico, “o primeiro grande erro que cometemos no Natal é não nos mexermos. Era bom reintroduzirmos alguma actividade física”.
Para muitas famílias, o Natal é uma época de excessos, sobretudo a nível alimentar, em que aquilo que ingerimos não corresponde à energia que vamos despender. Durante as festas, nas horas que passamos em convívio, à frente de uma mesa recheada das mais variadas iguarias, esquecemos qualquer plano de alimentação saudável.
Porém, “do ponto de vista dos erros alimentares, o problema não está no bacalhau, no peru ou no polvo. O problema está nas gorduras e nos açúcares que se ingerem nesta fase”. Obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e doenças cardiovasculares não vão de férias e 'aproveitam' os abusos alimentares do Natal para ganhar terreno.
A presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas, sugere que para salvaguardarmos a saúde “não devemos ser escravos das calorias, precisamos antes de ter bom senso. Reduzir as gorduras é um princípio excelente, assim como reduzir o açúcar, que nos dá calorias vazias que não trazem consigo nenhum outro nutriente”.
Mas não é preciso abdicar da tradição para melhorar a nossa dieta natalícia. Além das receitas que propõem manter o sabor dos alimentos abolindo gorduras e açúcares, existem várias outras estratégias para não ceder à tentação. Desde logo, o apetite para as gorduras e doces pode ser acalmado por uma entrada nutritiva e saudável, como uma sopa de legumes.
Já o bacalhau, rico em proteínas e pobre em gorduras, mantém-se a refeição ideal enquanto for apenas cozido, sem ser sujeito a outras formas de preparação. Quanto às sobremesas, nada melhor do que optar por frutas e por levar poucos doces à mesa. Finalmente, o endocrinologista aconselha “um reforço nas saladas e legumes, mais exercício físico e alguma dieta ligeira no dia seguinte”.
Para que tenha um Natal mais saudável. Tenha um Feliz Natal!