Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

.Temas

. cml(388)

. governo(157)

. telheiras(157)

. cdu(146)

. lumiar(133)

. eleições autárquicas(131)

. urbanismo(117)

. pcp(101)

. alta do lumiar(97)

. partidos políticos(96)

. segurança(94)

. orçamento(93)

. carnide(84)

. pev(83)

. trabalho(83)

. desemprego(77)

. saúde(76)

. trânsito(74)

. sindicatos(70)

. economia(68)

. todas as tags

.Pesquisar neste blogue

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
23
24
29
30
31

.Artigos recentes

. Em defesa da gestão públi...

. CGTP defende a escola púb...

. EDP: Mais um exemplo da R...

.Arquivos

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Ligações

Quarta-feira, 4 de Março de 2009

Em defesa da gestão pública da água

Uma grande maioria dos portugueses (69%) não concorda com a privatização ou gestão privada dos serviços de abastecimento de água e saneamento, apontando três razões principais: “a água é de todos” (75,5%), é um “serviço público essencial” (65%), “as pessoas com menores rendimentos deixariam de ter acesso à água” (57,1%).

Estes são os resultados obtidos pela sondagem/Marktest encomendada pelo STAL e realizada entre os dias 6 e 15 de Janeiro, na sequência da campanha ‘Água é de todos, não o negócio de alguns’.

 

Com o presente estudo de opinião, o primeiro conhecido em Portugal sobre a opinião dos portugueses acerca da privatização dos sistemas de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos, o STAL - Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local, pretendeu não só determinar o grau de concordância da população com os processos de privatização no sector e retirada das correspondentes competências aos municípios, mas igualmente medir o grau de cobertura e satisfação e identificar os critérios mais importantes para os utentes na gestão destes serviços.
No universo da sondagem, regista-se uma ampla cobertura dos serviços em análise, similar aos dados estatísticos nacionais: abastecimento de água (89.8%); recolha e tratamento do lixo (82.9%); saneamento e esgotos (79.7%); recolha selectiva de lixo (71.9%).
A esmagadora maioria dos inquiridos (93,9%) beneficia de pelo menos um serviço prestado por entidades públicas. Só 22,2% afirmaram utilizar um serviço (água, saneamento, recolha ou tratamento de lixo) prestado por empresas privadas.
É no sector dos resíduos urbanos que o peso dos privados se faz sentir mais, tendo sido assinalado por 15,8% das respostas. A sua presença no abastecimento de água foi notada por nove por cento, enquanto na actividade de saneamento apenas 3,6% dos inquiridos afirma serem servidos por empresas privadas.
A sondagem revelou que a maioria da população está satisfeita ou muito satisfeita com os serviços prestados. Numa escala de zero a dez, a classificações médias mais elevadas foram atribuídas aos serviços de água, designadamente em relação à “continuidade do fornecimento de água” (8.0) e à “qualidade da água distribuída” (7.4). No primeiro critério, 36,2% declararam-se ‘satisfeitos’ e 40,6 ‘muito satisfeitos’, enquanto no segundo critério 40,4% estão ‘satisfeitos’ e 30,5% ‘muito satisfeitos’.
De forma geral, a “facilidade de contacto” é também apreciada pelos utentes, com uma classificação média de 6.4 valores, notando-se uma menor satisfação com “o tipo de informação fornecida pelos serviços” (5.9), com a “higiene dos contentores” (5.6) e com «os valores facturados” (5.5).
O estudo mostrou uma opinião praticamente unânime sobre a importância da água como bem essencial à vida humana.
Questionados sobre a afirmação de que “o acesso à água é um direito que deve ser assegurado a todas as pessoas independentemente da sua condição económica e social e da região onde habitem”, 99% dos inquiridos manifestaram a sua concordância.
Estabelecendo uma relação entre a garantia deste direito e a gestão pública do serviço, uma clara maioria (69%) não quer que os serviços de abastecimento de água e saneamento sejam privatizados, geridos por empresas privadas.
Dos que assim responderam, 88,2% valorizam o facto de que “água é de todos”, 83,2% que se trata de “um serviço público essencial” e 77,4% considera que a privatização põe em causa “o acesso à água de pessoas de menores rendimentos”. De igual modo, foram registadas percentagens significativas relativamente a outras consequências da privatização: “os preços aumentam mais do que esperado” (72,3%); “os direitos dos trabalhadores diminuem” (66,3%); “a qualidade do serviço diminui” (65,3); “os lucros passarão a estar em primeiro lugar” (62,1%).
Porque a ‘Água é um direito. Diga não à sua privatização!’
 
Ver www.aguadetodos.com
publicado por Sobreda às 01:19
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 16 de Setembro de 2008

CGTP defende a escola pública

Ontem, dia de arranque de mais um ano lectivo, a CGTP iniciou um movimento de recolha de assinaturas em defesa da escola pública, com o secretário-geral da CGTP, em plena baixa lisboeta, a afirmar esperar que a visita de ontem de vários elementos do Governo a escolas tivesse sido inspiradora.
O dirigente sindical responsabiliza o actual Executivo pelos ataques que a escola pública tem sofrido, utilizando dados do INE para sublinhar que os encargos das famílias com a escola são cada vez mais pesados: “Durante esta legislatura, os custos das famílias com o ensino já se agravaram 16%, o que pesa muito nos orçamentos das famílias”.
 
Ver www.rr.pt/InformacaoDetalhe.aspx?AreaId=11&SubAreaId=39&SubSubAreaId=79&ContentId=259912
publicado por Sobreda às 00:40
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

EDP: Mais um exemplo da ROUBALHEIRA!

Os lucros a aumentar, os trabalhadores a pagar!
A EDP acaba de apresentar as contas do grupo referentes ao 1º semestre de 2008. E de acordo com essas contas a EDP obteve, em apenas 6 meses, lucros de 962,4
milhões de euros antes de impostos, o que representa um aumento de 44% relativamente aos obtidos em identico periodo de 2007. Como os impostos a  pagar subiram apenas 4% ( a taxa efectiva desceu 7 postos percentuais), apesar dos lucros terem aumentado 44%, os lucros liquidos cresceram 56,6%, e os lucros a distribuir aos accionistas subiram 66,6%.

Este Estudo de Eugénio Rosa desmascara esta realidade e outras ligadas à EDP. Ler aqui.

publicado por teresa roque às 15:50
Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

.Participar

. Participe neste blogue