Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

CDU LUMIAR

Blogue conjunto do PCP e do PEV Lumiar. Participar é obrigatório! Vê também o sítio www.cdulumiar.no.sapo.pt

Expansão das linhas do Metro até 2020

Sobreda, 07.09.09

Havíamos noticiado neste blogue a previsão de crescimento futuro das actuais linhas do Metro de Lisboa 1.

 

Ora, além das 30 novas estações anunciadas pelo Governo, também a autarquia sugeriu um alargamento pela Alta do Lumiar, através de uma bifurcação na Linha Vermelha e de uma linha de Metro ligeiro.
A CML propôs assim “o estudo de uma linha de Metro Ligeiro, que faça circular pela Alta de Lisboa, Ameixoeira, S. Francisco de Assis e Quinta das Mouras”, o que significará mais oito novas estações na zona norte da cidade.
A maior expansão teria então lugar na Linha Vermelha, unindo o Oriente ao Aeroporto (se este ainda existir na altura), seguindo a linha para o Campo Grande, num destino que passaria por Telheiras, Rua Fernando Namora / Alameda Roentgen, Senhora da Luz / São Francisco de Assis, Bairro Padre Cruz , e terminaria no Hospital Amadora-Sintra.
Por outro lado, o Governo assume que este traçado pode ainda sofrer alterações. Falta também saber qual a receptividade do Metro de Lisboa às reivindicações da autarquia que, recorde-se, perdeu recentemente o assento que tinha no Metro de Lisboa.
Na proposta de emissão de parecer levada à sessão camarária, o próprio executivo criticou a falta de presença da autarquia na definição do rumo do Metro. “Durante décadas a CML esteve arredada do planeamento da rede de metro que serve a cidade com as consequências negativas que daí resultaram”, escreveram os vereadores numa crítica aos governos PS e PSD.
A rede do Metro de Lisboa, que tem actualmente 37,7 km, ficaria assim com um total de 66,7 km. Isto, claro, se o plano deste Governo (e dos que se lhe seguirão) se concretizar 2.
 

Linhas da rede do Metro voltam a mudar de linha

Sobreda, 03.09.09

A criação de uma linha circular que una parte das actuais linhas verde e amarela da rede de metropolitano de Lisboa e a construção de um troço que ligue directamente a estação do Oriente à Pontinha em 24 minutos (através da Freguesia do Lumiar) são as principais novidades constantes da nova proposta de expansão da rede, para ser concretizado entre 2010 e 2020.

A proposta pressupõe a ligação do Aeroporto (cuja ligação a Oriente está actualmente a ser construída) ao hospital Amadora-Sintra, passando pelo Campo Grande e pela Pontinha. O troço que juntaria a estação de Campo Grande a Telheiras deixaria de fazer parte da linha verde e seria integrado na nova linha vermelha.
Telheiras poderá assim vir a ligar-se à Pontinha através de três estações (Fernando Namora, Senhora da Luz, Padre Cruz) e o troço entre a Pontinha e Amadora-Este, com a já anunciada chegada ao hospital Amadora-Sintra, integraria esta nova linha.
No outro extremo, a linha vermelha tem proposta de ampliação, desta vez de S. Sebastião até Campo de Ourique, sendo que neste bairro se divide em dois troços: um com direcção ao Alvito e outro com final em Alcântara. O Alvito poderá tornar-se um ponto de intermodalidade, ligando o metro ao eixo ferroviário Norte/Sul, permitindo ligações à parte ocidental da área metropolitana.
Por sua vez, Alcântara é encarada como uma nova centralidade de Lisboa, com a concretização dos planos para aquela área. No entanto, a zona ocidental a sul de Monsanto não tem proposta de prolongamento, ficando a Ajuda, Belém e Restelo sem o metropolitano.

 

 

Na proposta de extensões a construir na nova linha vermelha prevêem-se 5,9 km entre o Aeroporto e a Pontinha, 3,9 entre S. Sebastião e o Alvito e a ligação de Campo de Ourique a Alcântara será feita em 2,3 km. Uma duração de dez minutos é o tempo estimado para se efectuar o trajecto entre o Alvito e Saldanha.

No centro de Lisboa, salienta-se a fusão do troço Rato-Campo Grande ao percurso da linha verde entre esta mesma estação e o Cais do Sodré. Através do prolongamento do Rato ao Cais do Sodré, com paragens em São Bento e Santos, tornar-se-á possível a criação da tal linha circular.
Envolvendo um investimento total de 2,5 mil milhões de euros, o projecto concretizará a chegada do metro a Loures, com final no Infantado, permitida por uma ramificação em Odivelas. Segundo a proposta, um outro ramal seguirá dali para o centro do concelho, depois para a Ramada, terminando nos Bons Dias, em Odivelas. Este troço, segundo prazos divulgados na apresentação, tem conclusão prevista para 2017.
Na rede já existente, está prevista a criação de mais estações. Benfica, um bairro onde há queixas devido a problemas de acessibilidade, será servido com uma bifurcação a partir do Colégio Militar. Por sua vez, entre Roma e Areeiro propõe-se a construção da estação Madrid, que serviria de interface à estação da Refer. Um ano e meio depois da sua inauguração, o percurso entre Terreiro do Paço e Santa Apolónia tem prevista uma nova paragem em Alfama, por solicitação da CML.
Também uma rede de light rail (transporte mais leve que o metro convencional) poderá vir a ser explorada numa lógica de complementaridade. Apesar da previsão de 30 novas estações e de mais 29 km na rede do metropolitano, o plano poderá sofrer alterações após as apreciações dos municípios e de outras entidades envolvidas 1.
 
Nota: Deve salientar-se que esta ‘nova’ proposta a executar até (ou para lá) de 2020 é apenas mais uma entre as diversas alternativas que vêm sendo anunciadas (com muitas variantes), sempre mais ou menos por volta de períodos eleitorais 2
Mas, como já se 'ouviram' tantas versões, trata-se apenas de baralhar as linhas na rede e voltar a dar.
 

Linha vermelha pára este fim-de-semana

Sobreda, 22.08.09

Andar no Metro de Lisboa, entre as estações Oriente e Alameda, não vai ser possível durante este fim-de-semana. A linha vermelha vai voltar a estar encerrada este fim-de-semana. Em causa estão as obras de prolongamento desse percurso.

O Metro de Lisboa justifica a paralisação da linha vermelha com as obras de ligação do percurso com as estações que vai cruzar, depois do prolongamento até S. Sebastião, na linha azul. As restantes linhas da rede do Metropolitano manterão a circulação no horário normal de funcionamento.
Os utentes podem utilizar os autocarros da Carris que vão estar ao serviço do Metro, para fazer a ligação entre o Oriente e Alameda. Segundo informa a empresa, estes veículos vão funcionar entre as 6h30 e a 1h00, e podem ser utilizados os títulos de transporte do Metro.
Recorde-se que já no outro fim-de-semana também esteve encerrada a mesma linha.
 

PCP lança campanha contra privatização das linhas urbanas de comboios

teresa roque, 19.07.09

cppriv.jpgA Dorl do PCP realiza no dia 16 de Julho uma acção distrital de esclarecimento e agitação sobre a decisão do Governo (prontamente subscrita por Cavaco Silva e o PSD) de iniciar o processo de privatização das linhas urbanas de comboios. Esta acção, onde será distribuído o comunicado anexo, iniciar-se-á de manhã com a sua distribuição nas estações de comboio do Distrito, e concluirá às 17.00 numa acção na Estação do Areeiro que contará com a presença de Bernardino Soares.

Ler Comunicado em PDF

Como se limpam as nódoas

Sobreda, 01.07.09

A CML classificou, esta 4ª fª, a decisão do Ministério das Obras Públicas de excluir a autarquia da administração do Metro da capital como uma “nódoa muito grande”, tendo o executivo camarário aprovado uma moção contra o Governo, de vivo repúdio ao Executivo pelo afastamento de um representante da autarquia da administração do Metropolitano de Lisboa.

Foi decidido que, a exemplo do que já acontece com os outros municípios por onde passa o metropolitano de Lisboa, a autarquia da capital passa a ter um representante no conselho consultivo do metro, deixando de estar no conselho de administração.
Se, como diz a CML, “no melhor pano cai a nódoa” e esta é “uma nódoa muito grande”, proveniente do ministério das Obras Públicas, onde “lamentavelmente as nódoas se têm sucedido” 1, só existe um processo eficaz de limpeza de nódoas: com Trabalho, Honestidade e Competência.
 

Estações de Metro encerram no fim-de-semana

Sobreda, 19.06.09

Entre os dias 20 e 22 de Junho, as estações das Laranjeiras, Jardim Zoológico, Praça de Espanha, São Sebastião, Parque e Marquês de Pombal - todas da Linha Azul -, vão estar fechadas para obras.

As obras estão inseridas no prolongamento da Linha Vermelha entre a Alameda e São Sebastião.
 

Deficiente cobertura da Rede 7 da Carris

Sobreda, 08.05.09

 

A CML aprovou na 4ª fª, por unanimidade, uma proposta do PCP que determina o levantamento das situações de “deficiente cobertura” dos serviços de transportes públicos, nomeadamente após a aplicação da segunda fase da Rede 7 da Carris. Esse levantamento, a realizar pelos serviços da autarquia, deve dedicar “especial ênfase”, nos “períodos nocturnos e de fim-de-semana”.
Um relatório “detalhado” deverá estar concluído até ao final de Junho, de acordo com a deliberação.
Os vereadores acordaram ainda, por unanimidade, “incumbir a Câmara para, com a Carris e o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, avaliar e encontrar as soluções apropriadas para as limitações de mobilidade na cidade” que sejam a ser identificadas no relatório.
Após a aplicação da segunda fase da Rede 7 da Carris, em 2007, “várias zonas encontram-se ainda privadas de transportes públicos nos horários nocturnos e fins-de-semana, nomeadamente o Bairro Padre Cruz, em Carnide, Bairro da Boavista, em Benfica, Bairro da Quinta do Lavrado, em São João, Bairro das Laranjeiras, nos Olivais, e todo o eixo Areeiro-Aeroporto”.
Há bairros nos quais “não circula uma única carreira no seu interior”, aponta a deliberação camarária, nomeadamente o Bairro da Bela Flor, em Campolide, e o Bairro das Galinheiras, na Ameixoeira, entre outros.
Segundo a deliberação, há “inúmeras reclamações relativas a horários das carreiras de autocarro e dos longos intervalos de passagem, com especial incidência nos períodos fora das horas de ponta, com tempos de espera a rondar os vinte minutos, em muito superiores aos apontados na proposta de renovação da Carris”.
 

Projectos para ligar a Alta de Lisboa à cidade

Sobreda, 03.04.09

Melhorar as ligações rodoviárias da nova urbanização da Alta de Lisboa ao resto da cidade é o desafio posto a concurso para a capital.

Para isso, a CML quer estender até ao Lumiar o eixo Av. da Liberdade / Av. da República / Campo Grande. Como? Fazendo passar uma estrada por cima da Segunda Circular? Por baixo? “É uma operação difícil”, reconhece um arquitecto, recordando que os planos para dar continuidade ao eixo rodoviário central da cidade datam de há mais de três décadas.
Do projecto faz parte a construção de um corredor de transportes colectivos que inclua uma linha de metro de superfície, bem como a melhoria das condições de deslocação dos peões e dos velocípedes. Prevista está também a criação de um novo parque verde à entrada da Alta de Lisboa, na zona de Calvanas.
Resolver imbróglios urbanísticos e requalificar áreas é o desafio posto aos jovens arquitectos europeus no âmbito da décima edição do concurso Europan. Os organizadores do concurso escolheram estas três localidades - Cascais, Entroncamento e Lisboa - para se juntar a seis dezenas de outras congéneres suas do continente, onde também é preciso solucionar problemas causados pela expansão da urbe e pela degradação do espaço urbano.
Para cada local haverá uma proposta premiada. Além de um prémio pecuniário de 12 mil euros, os concorrentes - com idade inferior a 40 anos - terão direito à encomenda de um projecto por parte da entidade que quer ver o problema urbanístico solucionado.
O que não é garantia de que aquilo que foi idealizado e premiado irá, de facto, por diante: segundo o arquitecto responsável pelo Europan em Portugal, por razões várias a taxa de execução destas propostas não costuma ir além dos 60%, quer em Portugal, quer no resto da Europa 1.
Sempre são mais um grupo de projectos que ficam em carteira...
 

Moradores dos Olivais querem melhores transportes e escolas em boas condições

Sobreda, 08.02.09

A degradação dos estabelecimentos de ensino, o abandono de complexos municipais, as débeis acessibilidades e a deterioração dos espaços verdes foram apontados pelos moradores da freguesia de Santa Maria dos Olivais como os problemas prioritários a serem resolvidos pela CML.

Estas questões foram abordadas na passada 4ª fª à noite, nas instalações da Sociedade Filarmónica União e Capricho, nos Olivais, em mais uma reunião descentralizada promovida pela autarquia lisboeta.
No que respeita à área educativa, uma moradora na zona do Parque das Nações, reclamou a insuficiência a nível de estabelecimentos de ensino naquele local, sendo que a escola mais perto fica em Loures. Outro munícipe dos Olivais, denunciou a degradação do parque escolar, afirmando que “o orçamento previsto no modelo de financiamento é mínimo para uma requalificação completa do espaço”. Por sua vez, outra munícipe levantou a problemática relativa ao projecto de design - Cinco Escolas, Cinco Designers - prometido na Escola Básica Almada Negreiros, e ao estado de degradação em que o complexo educativo se encontra.
A vereadora responsável pela área da Educação, Juventude e Cultura, ainda procurou apresentar soluções e planos em curso para a reabilitação e gestão dos espaços educativas nos Olivais e na zona do Parque das Nações, salientando um projecto relativo à instalação de uma escola na zona sul do Parque das Nações, o que não satisfez os residentes por, exactamente, “ainda só ser um projecto”.
Outro dos problemas levantados pelos munícipes refere-se à “deficiente” rede de transportes públicos e “má acessibilidade” para quem se queira deslocar até ao Parque das Nações. Neste ponto, o vereador responsável pelo Urbanismo e Planeamento Estratégico, admitiu estar a decorrer um projecto que consiste numa nova rua que poderá vir a ligar os Olivais a Moscavide, assim como a construção de um acesso mecânico entre o Bairro das Laranjeiras e o Parque das Nações, mas… “que ainda não está definido” 1.
Em conclusão, o executivo foi célebre a apresentar projectos e mais projectos, lamentavelmente ainda ‘em carteira’.
 

Metropolitano altera percurso de linha no Lumiar?

Sobreda, 05.02.09

Um cidadão morador na Alta de Lisboa alertou para o facto de existirem planos para que não se construa mais a futura ligação da linha do Metro, do aeroporto até à Alta de Lisboa.

Isto porque recentes declarações do presidente do Metro de Lisboa podem indiciar um abandono dos planos antigos da passagem da linha vermelha pela Alta de Lisboa. Aqui se transcreve a denúncia do morador 1.

 

“De acordo com as notícias vindas a público sobre o estudo da nova fase de expansão do Metro de Lisboa, não posso deixar de expressar a minha preocupação com a afirmação do Senhor Presidente do Metropolitano de Lisboa. Passo a transcrever parte da notícia publicada no Diário Económico:
«Sobre o cruzamento da linha Amarela com as linhas Vermelha e Verde no Campo Grande, Joaquim Reis destaca que se pretende fazer ali um interface das três linhas».
Se acontecer o que a noticia revela, a nova fase de expansão do Metro deixa de fora o maior bairro de Lisboa, diria mesmo, o maior bairro do país, a Alta de Lisboa. Estima-se que entre 2015 e 2020 habitem no bairro mais de 60 mil pessoas 2 e lá trabalhem mais de 9 mil.
O interface das três linhas de metro no Campo Grande, se for feita com ligação directa da linha vermelha a partir da futura estação do aeroporto da Portela, deixa cair o antigo projecto de estação no eixo central da Alta de Lisboa, tão só a 5ª avenida do eixo principal da capital, e que serviria potencialmente os mais de 30 mil moradores do bairro.
A solução pensada agora desmonta também a estratégia de fazer da linha vermelha uma circular limítrofe do concelho, que ligaria às restantes linhas na coroa mais afastada da cidade e proporcionaria uma ligação rápida entre as duas zonas mais populosas da cidade, Alta de Lisboa/Lumiar a Benfica/Colégio Militar.
A solução que aponto não é nova. Há anos que é referida. Em 2008, no estudo de impacte ambiental do troço da linha vermelha para Campolide; em 2006, pela CML, na proposta de revisão do PDM; em 2004, na intervenção do Ministro das Obras Públicas, na inauguração da extensão Pontinha-Falagueira do Metropolitano de Lisboa, da qual passo a transcrever parte:
- foram já concluídos os estudos e será brevemente apresentada a candidatura ao Fundo de Coesão para o seu prolongamento entre a Gare do Oriente e o Aeroporto da Portela (os concursos internacionais serão lançados no 4º trimestre deste ano), prevendo-se a conclusão da obra no final de 2007;
- está já em estudo a ligação entre a estação do Lumiar e a futura estação do Aeroporto, que a partir de 2009 irá servir a zona da Alta de Lisboa e estabelecer correspondência com a Linha Amarela e foi já analisada uma possível ligação a Sacavém;
- foram também já dadas instruções ao Metropolitano de Lisboa para estudar as opções de extensão a partir do Lumiar, levando em conta as orientações decorrentes dos estudos de reestruturação do Sistema de Transportes da Área Metropolitana de Lisboa, recentemente realizados.
Deste modo, a Linha Vermelha constituir-se-á numa dupla circular que, com as outras linhas radiais, se constituirá numa verdadeira rede, melhorando significativamente a cobertura da área urbana de Lisboa e a conexão entre as linhas, permitindo percursos mais racionais.”
Recorda-se que o Plano de Urbanização do Alto do Lumiar (Quadro nº 3 da Resolução do Conselho de Ministros nº 126/98) previa, em 1998, a passagem da linha por esta zona em crescimento na capital.
 
1. Ler, com os necessários agradecimentos prévios pela transcrição, www.altadelisboa.net/comunique_descontentamento_mudanca_plano_metro_lisboa_linha_vermelha
2. A SGAL estima que “65.000 habitantes é o número que sintetiza a dimensão da extensão da cidade de Lisboa”, ver www.altadelisboa.com/page/apresentacao